Acompanhe:
seloNegócios

Última oportunidade de cumprir meta de +1,5ºC, diz presidente da COP26

Para Alok Sharma, a meta do Acordo de Paris precisa ser superada em um novo pacto

Modo escuro

Continua após a publicidade
O presidente da COP26, Alok Sharma: Países anunciam acordo que prevê fim gradual do uso de carvão com motor de energia (AFP/AFP)

O presidente da COP26, Alok Sharma: Países anunciam acordo que prevê fim gradual do uso de carvão com motor de energia (AFP/AFP)

A
AFP

Publicado em 31 de outubro de 2021 às, 09h58.

Última atualização em 5 de novembro de 2021 às, 12h46.

A conferência climática COP26 é "a última e a melhor esperança" de limitar o aquecimento global a +1,5ºC, o objetivo mais ambicioso do Acordo de Paris, declarou seu presidente, Alok Sharma, em sua abertura neste domingo, 31, em Glasgow, na Escócia.

Durante a pandemia de covid-19, "a mudança climática não tirou férias. Todas as luzes estão vermelhas no painel climático", acrescentou, pedindo mais ambições no primeiro dia de duas semanas de uma conferência sobre o clima considerada crucial para o futuro da humanidade. "Se agirmos agora e juntos, podemos proteger nosso precioso planeta", ressaltou.

No sábado, em Roma, onde participou da cúpula do G20, cujas conclusões serão examinadas para detectar a vontade das principais economias de lutar ativamente contra o aquecimento global, o secretário-geral da ONU, António Guterres, também soou o alarme. "Vamos ser claros, há um risco significativo de que Glasgow não cumpra suas promessas", disse ele.

O Acordo de Paris visa reduzir as emissões de gases de efeito estufa para limitar o aquecimento bem abaixo de +2°C em comparação com a era pré-industrial, se possível +1,5°C.

Mas com as tendências atuais, os especialistas em clima da ONU (IPCC) alertam para o risco de alcançarmos +1,5°C por volta de 2030, enquanto os compromissos climáticos dos Estados levam a um aquecimento catastrófico de 2,7°C.

Com +1°C, as catástrofes naturais já está em andamento, desde incêndios na Califórnia ou Sibéria até temperaturas recordes no Canadá, passando por inundações destrutivas na China ou na Europa Ocidental.

Últimas Notícias

Ver mais
Após ataque do Irã a Israel, Conselho de Segurança da ONU e G7 se reúnem para discutir conflito
Mundo

Após ataque do Irã a Israel, Conselho de Segurança da ONU e G7 se reúnem para discutir conflito

Há um dia

Crise no Haiti: ONU diz que quase 100 mil pessoas fugiram de Porto Príncipe por violência de gangues
Mundo

Crise no Haiti: ONU diz que quase 100 mil pessoas fugiram de Porto Príncipe por violência de gangues

Há 2 dias

Oceanos mais quentes levantam dúvida: subestimamos as mudanças climáticas?
ESG

Oceanos mais quentes levantam dúvida: subestimamos as mudanças climáticas?

Há 2 dias

México pede ao Tribunal de Haia que Equador seja suspenso da ONU
Mundo

México pede ao Tribunal de Haia que Equador seja suspenso da ONU

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais