Negócios
Acompanhe:

Uber não prevê corte de funcionários, garante CEO em Davos

A plataforma de reserva de carros com motorista tinha cerca de 32,6 mil funcionários em todo o mundo no final de setembro, de acordo com seu último relatório trimestral

Uber: "Não estamos planejando demissões em toda a empresa neste momento", disse o CEO (SOPA Images/Getty Images)

Uber: "Não estamos planejando demissões em toda a empresa neste momento", disse o CEO (SOPA Images/Getty Images)

A
AFP

19 de janeiro de 2023, 14h07

A Uber anunciou nesta quinta-feira, 19, que não pretende reduzir seu quadro de funcionários, segundo o CEO da empresa em Davos, em um momento em que o setor tecnológico americano vem anunciando demissões em massa.

"Não estamos planejando demissões em toda a empresa neste momento", disse o CEO, Dara Khosrowshahi, em um evento organizado pelo Wall Street Journal durante o Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça.

A plataforma de reserva de carros com motorista tinha cerca de 32,6 mil funcionários em todo o mundo no final de setembro, de acordo com seu último relatório trimestral.

O setor tecnológico americano anunciou demissões em massa nos últimos meses, como a Microsoft, que divulgou na última quarta-feira, 18, a saída de 10 mil funcionários até o final de março, cerca de 5% do total de empregados, alegando incerteza econômica e mudança nas prioridades dos clientes.

A Amazon e a Salesforce também comunicaram neste mês a demissão de 18 mil e 8 mil trabalhadores, respectivamente.

Já a Meta, que controla o Facebook e o Instagram, lançou em novembro um plano de demissões que afeta 11 mil empregos.

Dara Khosrowshahi reconheceu que sempre haverá reajustes nas equipes de suas diferentes divisões, mas que "a atividade principal e a equipe de colaboradores estão bem equilibrados e bem posicionados para o futuro", finalizou.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

LEIA TAMBÉM: