Acompanhe:
Apresentado por ACCENTURE
seloNegócios

Três passos para colocar em prática o business agility

Antecipar, adaptar e acelerar. Executivo da Accenture explica o conceito por trás dessa competência fundamental para a sobrevivência das empresas. Entenda

Modo escuro

Continua após a publicidade
A década da agilidade: um movimento acelerado com a pandemia (Klaus Vedfelt/Getty Images)

A década da agilidade: um movimento acelerado com a pandemia (Klaus Vedfelt/Getty Images)

e
exame.solutions

Publicado em 19 de novembro de 2021 às, 09h00.

Última atualização em 15 de dezembro de 2021 às, 19h10.

Numa era de novas tecnologias e modelos de negócios disruptivos, a frase de Charles Darwin nunca fez tanto sentido: “Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”.

Está em jogo a competência de uma organização para antecipar tendências e necessidades, adaptar-se às mudanças do mundo e acelerar transformações do negócio, o que passa, mas não termina, no investimento em novas tecnologias.

“Antecipar, adaptar e acelerar: este é o triplo A que usamos para definir o conceito de business agility”, afirma Edivandro Conforto, especialista em Business Transformation e Business Agility, e Líder para América Latina na Accenture.

Não que o termo seja novo. Desde a década de 1970 já há empresas desenvolvendo práticas que contribuiam para mais agilidade e flexibilidade. Mas a virada do milênio marcou o momento em que modelos e ferramentas como scrum, kanban e gestão lean, deixaram de ser apenas uma forma de trabalhar da “área de TI” para entrar para a estratégia do negócio de uma vez por todas.

Hoje todo mundo quer ser digital e se beneficiar da transformação digital. O que é preciso perceber é que, além da tecnologia, há um mindset de agilidade e uma obsessão por um modelo operacional ágil e com foco no cliente, algo que está por trás das grandes referências de mercado como Amazon, Apple, Facebook, Google, Microsoft, Netflix e Salesforce.

divandro Conforto, da Accenture: antecipar, adaptar e acelerar -- triplo A para definir o business agility (Accenture/Divulgação)

A década da agilidade nos negócios

Com a pandemia, iniciou-se o que o especialista está chamando de “a década da agilidade nos negócios”. A necessidade de adaptação das empresas tornou-se urgente, uma questão de sobrevivência.

“Quem ainda não começou a rever seus processos e forma de trabalho, está atrasado", diz Conforto. Além da experiência de mercado, a opinião do executivo baseia-se na pesquisa Business Agility Report, conduzida pelo Business Agility Institute em parceria com a Accenture SolutionsIQ, que examinou dados de 359 organizações, abrangendo 28 setores e 53 países.

Em comparação com o ano de 2019, o estudo observou mais organizações iniciando seus negócios com jornadas ágeis e uma percepção de maturidade neste processo muito maior (aumento médio de 15% pós-covid-19). Entre os aspectos percebidos estão mudanças nos recursos humanos, mais foco no cliente e mais projetos envolvendo práticas ágeis.

Por onde começar

Do mesmo estudo, podemos entender que uma mudança em direção a um modelo operacional mais ágil depende da percepção da liderança e do impacto sistêmico que ela provoca. Processos, práticas, atitudes e valores de negócios enraizados não mudam fácil ou rapidamente.

“A transformação ágil é uma jornada contínua para ganhar flexibilidade, aprender rápido, preparar pessoas, ter processos e estruturas que possibilitem responder às mudanças com agilidade e efetividade”, diz Conforto.

O executivo destaca ainda que o modelo de budgeting anual precisa ser repensado para dar mais autonomia para os times pilotarem inovações. “As pessoas não querem mais trabalhar em modelos engessados, e em empresas extremamente hierarquizadas e burocráticas, onde não podem criar e onde tudo demora muito e requer inúmeras aprovações .”

Por fim, destaca Conforto, é importante trabalhar no que o executivo chama de “fluxo de valor”. "Significa quebrar a visão hierarquizada e de silos das empresas, para trabalhar de forma mais colaborativa e com metas de desempenho que reflitam uma visão compartilhada de sucesso.”

Últimas Notícias

Ver mais
Brasil lidera adoção de novos meios de pagamento com Pix; carteira digital ganha espaço
Future of Money

Brasil lidera adoção de novos meios de pagamento com Pix; carteira digital ganha espaço

Há 9 meses

Tokenização vai deslanchar no Brasil a partir de julho, diz especialista
Future of Money

Tokenização vai deslanchar no Brasil a partir de julho, diz especialista

Há 10 meses

Inteligência artificial é prioridade de investimento para 73% das empresas
Future of Money

Inteligência artificial é prioridade de investimento para 73% das empresas

Há 11 meses

Accenture anuncia investimento em startup de imagens holográficas no metaverso
Future of Money

Accenture anuncia investimento em startup de imagens holográficas no metaverso

Há um ano

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais