Negócios

Tesco mostra sinais de recuperação no mercado britânico

Empresa atribuiu a performance a preços mais baixos, melhor disponibilidade de produtos e ao serviço ao consumidor aprimorado


	Tesco: empresa atribuiu a performance a preços mais baixos
 (Wikicommons)

Tesco: empresa atribuiu a performance a preços mais baixos (Wikicommons)

DR

Da Redação

Publicado em 26 de junho de 2015 às 08h59.

Londres - A maior operadora de supermercados britânica, Tesco, disse que as vendas recuaram menos que o esperado em seu primeiro trimestre, indicando que uma tentativa de recuperação em seu importante mercado doméstico pode estar começando a se mover em um ritmo mais rápido.

A Tesco, que enfrentou 18 meses terríveis marcados por alertas de lucro, uma perda estatutária recorde e um escândalo contábil, disse nesta sexta-feira que as vendas em lojas britânicas abertas há mais de um ano caíram 1,3 por cento sobre as 13 semanas até 30 de maio, ante previsão de analistas de queda entre 1,6 e 3 por cento.

As ações da Tesco, que acumularam baixa de 21 por cento no último ano, subiam 3,2 por cento às 7h45 no horário de Brasília, tendo atingido sua máxima em mais de um mês. As rivais menores Sainsbury e Morrison avançavam 1,6 e 1,1 por cento.

O presidente-executivo da empresa, Dave Lewis, disse que o volume comparável na Grã Bretanha subiu 1,4 por cento, com as transações em alta de 1,3 por cento e mais 180 mil consumidores fazendo compras na Tesco.

Ele atribuiu a performance a preços mais baixos, melhor disponibilidade de produtos e ao serviço ao consumidor aprimorado.

Acompanhe tudo sobre:Açõesbolsas-de-valoresEmpresasEmpresas inglesasSupermercadosTesco

Mais de Negócios

Em masterclass gratuita, Marcelo Cherto ensina o passo a passo para abrir uma franquia de sucesso

Vai um hambúrguer aí? Mania de Churrasco fatura R$ 114 milhões com lanches

Cauã Reymond, Deborah Secco e mais: ‘Netflix da publicidade' fatura R$70 mi levando famosos até PMEs

Dia dos Namorados: pequenas e médias empresas online faturam R$ 262,5 milhões na data, alta de 35%

Mais na Exame