Negócios

Tereos reforça presença no setor agroalimentar brasileiro

A empresa francesa adquiriu 68% da Halotek, especializada na transformação da mandioca em amido, pelo valor de 45 milhões de reais

Usina de biocombustíveis da Tereos em Origny-Sainte Benoîte, França: a empresa pretende construir uma amidonaria de milho para produtos como xaropes de glucose e alimentos (Alain Julien/AFP)

Usina de biocombustíveis da Tereos em Origny-Sainte Benoîte, França: a empresa pretende construir uma amidonaria de milho para produtos como xaropes de glucose e alimentos (Alain Julien/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 9 de setembro de 2011 às 11h33.

Paris - O grupo agroalimentar francês Tereos mantém sua expansão no Brasil, tornando-se o principal acionista da empresa Halotek, especializada na transformação da mandioca em amido, anunciou nesta sexta-feira em um comunicado.

A Tereos adquiriu 68% da Halotek pelo valor de 45 milhões de reais (20 milhões de euros) e se tornou assim acionista de referência da empresa.

A companhia brasileira será rebatizada Syral Halotek para marcar o seu pertencimento à Syral, filial da Tereos em amido.

"Este investimento permite à Tereos Syral acelerar seu desenvolvimento apoiando-se no crescimento fora do mercado europeu", comentou seu presidente Pierre-Christophe Duprat, citado no comunicado.

A operação foi realizada pela filial brasileira Tereos Internacional, cotada na Bolsa de São Paulo, indicou.

A Halotek, criada em 1991, tem sua sede no estado de São Paulo, região de implantação das usinas de produção de açúcar e etanol da Tereos no Brasil. Ela emprega 185 pessoas e tem uma capacidade de produção de amido de 60.000 toneladas por ano.

Sinergias em matéria de produção também serão desenvolvidas com a Guarani, uma outra filial brasileira da Tereos especializada na produção de açúcar e de etanol a partir da cana de açúcar, indicou ainda.

A Tereos pretende construir uma amidonaria de milho para produtos como xaropes de glucose ou amidos destinados à indústria alimentar e de papel no Brasil e na América do Sul.

Implantada na Europa, no Brasil e na África, a Tereos que tem sua sede social em Lille, reúne 12.000 agricultores associados e 13.500 funcionários permanentes que transformam a beterraba, a cana e cereais em açúcar, amido, álcool e bioetanol.

Acompanhe tudo sobre:AgronegócioIndústrias de alimentosTereosTrigo

Mais de Negócios

10 franquias baratas de limpeza para empreender a partir de R$ 27 mil

A malharia gaúcha que está produzindo 1.000 cobertores por semana — todos para doar

Com novas taxas nos EUA e na mira da União Europeia, montadoras chinesas apostam no Brasil

De funcionária fabril, ela construiu um império de US$ 7,1 bilhões com telas de celular para a Apple

Mais na Exame