Negócios

Steve Jobs poderia ter sido presidente do Google, diz revista

Larry Page e Sergey Brin, fundadores do Google, queriam chefão da Apple no cargo mais alto da empresa quando foi criada há 12 anos

Jobs: assediado pelo Google, quando a empresa foi fundada (Justin Sullivan/Getty Images)

Jobs: assediado pelo Google, quando a empresa foi fundada (Justin Sullivan/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 21 de março de 2011 às 19h26.

São Paulo – Muita gente se questiona qual será o destino da Apple quando Steve Jobs deixar a empresa. Muita gente também não sabe que o executivo poderia nem ter chegado ao topo da companhia. Segundo reportagem da revista americana Wired, os fundadores do Google, Larry Page e Sergey Brin, queriam Steve Jobs como presidente da gigante de tecnologia.

No entanto, a reportagem não deixa claro se Jobs recebeu o convite para o cargo. Procurada por EXAME.com, a assessoria de imprensa do Google disse que não comenta especulações.

Há 12 anos, Larry Page e Sergey Brin entraram em contato com o investidor John Doerr. Meses depois os executivos aceitaram a bolada de 12,5 milhões de dólares do Kleiner Perkins Caufield & Byers, a empresa de venture capital de Doerr, e a mesma quantia do Sequoia Capital. Decidiram, então, contratar um presidente experiente que pudesse dar uma “supervisão adulta”.

Page e Brin se cogitaram nomes como Andy Grove (da Intel), Scott Cook (da Intuit), Jeff Bezos (da Amazon) e outros. Mas queriam mesmo Steve Jobs. Doerr, no entanto, conseguiu convencê-los a expandir o leque de opções. Aí entrou na jogada Eric Schmidt, que assumiu o cargo em 2001.

Em janeiro deste ano, Schmidt anunciou que deixaria o cargo para ocupar funções focadas em parcerias externas, contatos com governo e desenvolvimento de tecnologias. “Supervisão adulta não será mais necessária”, escreveu ele no Twitter, instantes depois do anúncio oficial de sua saída. Larry Page assumirá seu lugar a partir de 4 de abril. Sergey Brin, também co-fundador, se dedicará a projetos estratégicos e novos produtos.

“Com o crescimento do Google, tornou-se mais complicado liderar os negócios. Então, Larry, Sergey e eu tiramos um tempo para conversas sobre a melhor forma de simplificar a estrutura da empresa”, escreveu Schmidt em seu blog oficial. “Nós três continuaremos a discutir importantes decisões da empresa.”

O anúncio veio após a divulgação dos resultados trimestrais da companhia, hoje a terceira maior empresa de tecnologia do mundo. No período, o Google registrou alta de 29% no lucro, totalizando 2,54 bilhões de dólares. A receita saltou 26%, somando 8,44 bilhões de dólares.

Acompanhe tudo sobre:AppleEmpresáriosEmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetempresas-de-tecnologiaGoogleNegociaçõesPersonalidadesSteve JobsTecnologia da informação

Mais de Negócios

Justiça aceita pedido de recuperação judicial da Polishop

Fernando Goldsztein: Toda a ajuda é pouca para os atingidos pelas enchentes do RS

Rodízio caro: rede de restaurantes Red Lobster pede recuperação judicial com dívida de US$ 1 bilhão

A startup que pretende usar um fundo de R$ 150 milhões para salvar negócios no Rio Grande do Sul

Mais na Exame