Negócios

Société Générale deixará Rússia após venda de operações no país

A instituição não informou os valores do negócio, mas disse que espera ter um impacto de até 3,1 bilhões de euros em seus resultados

Société Générale: O acordo ainda precisa ser aprovado por reguladores antitruste (Benjamin Girette/Bloomberg)

Société Générale: O acordo ainda precisa ser aprovado por reguladores antitruste (Benjamin Girette/Bloomberg)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 11 de abril de 2022 às 17h19.

O Société Générale anunciou nesta segunda-feira, 11, que deixará de operar na Rússia, após a venda de suas participações no Rosbank e subsidiárias de seguros para a Interros Capital, que pertence ao oligarca e ex-vice-primeiro-ministro russo Vladimir Potanin.

A instituição não informou os valores do negócio, mas disse que espera ter um impacto de até 3,1 bilhões de euros em seus resultados.

O braço russo representa menos de 3% dos lucros de 2021 do grupo, que reforçou compromisso com a distribuição de dividendos e a recompra de ações.

O acordo ainda precisa ser aprovado por reguladores antitruste. A companhia é a mais recente de uma lista de empresas que deixaram a Rússia desde que o país invadiu a Ucrânia, no final de fevereiro. Com informações da Dow Jones Newswires.

Acompanhe tudo sobre:BancosRússiaSociété Générale

Mais de Negócios

“É função dos empresários iniciar um novo RS”, diz CEO da maior produtora de biodiesel do país

Na Prosegur, os candidatos são avaliados pela simpática Rose, a chatbot do grupo

Baré, Fruki, Coroa, Jesus: conheça os refrigerantes de guaraná que bombam pelos estados do Brasil

De gravadora a companhia aérea: conheça Richard Branson, o bilionário que inspira os donos da Cimed

Mais na Exame