Negócios

TST manda Sky indenizar funcionário por não ir a banheiro

A ação afirma que o funcionário do atendimento telefônico pediu indenização por ter sido proibido de ir ao banheiro


	O hasteamento da bandeira estava de acordo com o número de assinantes aguradando o atendimento na linha - quanto mais clientes na espera, menor as chances do atendente ir ao banheiro
 (Deco Rodrigues/Contigo)

O hasteamento da bandeira estava de acordo com o número de assinantes aguradando o atendimento na linha - quanto mais clientes na espera, menor as chances do atendente ir ao banheiro (Deco Rodrigues/Contigo)

DR

Da Redação

Publicado em 24 de abril de 2013 às 19h55.

São Paulo - A Sky será obrigada a indenizar um ex-funcionário por não permitir idas ao banheiro, segundo decisão do TST.

A ação afirma que o funcionário do atendimento telefônico pediu indenização por conta de uma prática constrangedora de seu supervisor.

No escritório, segundo o processo, todos os empregados possuiam uma bandeira. Caso a mesma estivesse hasteada, as idas ao banheiro estariam liberadas, enquanto que ninguém poderia ir se a bandeira estivesse deitada.

O hasteamento da bandeira estava de acordo com o número de assinantes aguardando o atendimento na linha - quanto mais clientes na espera, menor as chances do atendente ir ao banheiro.

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo já havia dado ganho de causa ao trabalhador, mas a Sky recorreu ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), alegando que a prática não poderia ser considerada dano moral.

A justiça superior manteve o parecer e a empresa terá de indenizar o ex-funcionário em 10 mil reais.

Acompanhe tudo sobre:#failDireitos trabalhistasEmpresasIndenizaçõesSky TVTelecomunicaçõesTV paga

Mais de Negócios

Criada após perda familiar, startup maranhense que facilita realização de cirurgias capta US$ 1,5 mi

Yopa: o que aconteceu com a famosa marca de sorvetes e picolés dos anos 1990

Fusão entre Cobasi e Petz fez o número de interessados em conversão crescer 25%, diz CEO da Petland

Não aos feriadões fake

Mais na Exame