Negócios

Santos Brasil registra prejuízo de R$ 10,6 milhões no 3º tri

O resultado foi impactado pela pela redução do número de contêineres armazenados e pelo aumento das despesas com a variação cambial


	Terminal da Santos Brasil: o resultado foi impactado pela pela redução do número de contêineres armazenados e pelo aumento das despesas com a variação cambial
 (Germano Lüders / EXAME)

Terminal da Santos Brasil: o resultado foi impactado pela pela redução do número de contêineres armazenados e pelo aumento das despesas com a variação cambial (Germano Lüders / EXAME)

DR

Da Redação

Publicado em 29 de outubro de 2015 às 07h24.

São Paulo - A Santos Brasil reverteu o lucro líquido de R$ 16,2 milhões registrado no terceiro trimestre de 2014 e anotou prejuízo de R$ 10,6 milhões no mesmo período neste ano.

Segundo a companhia, o resultado foi impactado pelo diferente mix de perfil de serviços, com maior participação de operações de transbordo, pela redução do número de contêineres armazenados e pelo aumento das despesas financeiras com a variação cambial no período.

O Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) consolidado atingiu R$ 40,4 milhões no terceiro trimestre de 2015, uma queda de 44,4% na comparação com igual intervalo do ano passado. A margem Ebitda passou de 29,2% para 18%.

A receita líquida consolidada totalizou R$ 225,1 milhões, queda de 9,5% ante o período de julho a setembro de 2014. A receita líquida recorrente no trimestre foi de R$ 226,7 milhões, 8,8% abaixo da registrada no ano passado.

De julho a setembro de 2015, o resultado financeiro ficou negativo em R$ 13,1 milhões, uma alta de 23,6% na comparação com o resultado também negativo de R$ 10,6 milhões no ano passado.

Acompanhe tudo sobre:LucroPrejuízoSantos BrasilSetor de transporte

Mais de Negócios

Justiça aceita pedido de recuperação judicial da Polishop

Fernando Goldsztein: Toda a ajuda é pouca para os atingidos pelas enchentes do RS

Rodízio caro: rede de restaurantes Red Lobster pede recuperação judicial com dívida de US$ 1 bilhão

A startup que pretende usar um fundo de R$ 150 milhões para salvar negócios no Rio Grande do Sul

Mais na Exame