Acompanhe:
seloNegócios

Retomada do setor automotivo surpreende e montadoras revisam projeções

A Anfavea, associação que reúne as fabricantes de veículos, deve divulgar novas estimativas nesta quarta-feira

Modo escuro

Continua após a publicidade
Linha de produção: retomada acima do esperado (Germano Lüders/Exame)

Linha de produção: retomada acima do esperado (Germano Lüders/Exame)

J
Juliana Estigarribia

Publicado em 7 de outubro de 2020 às, 06h00.

Diante da retomada do ritmo de vendas de veículos acima do esperado, as montadoras estão revisando suas projeções para 2020. A Anfavea, associação que representa o setor, deve divulgar novas previsões para o mercado brasileiro nesta quarta-feira, 07.

A expectativa é que a entidade anuncie uma projeção de vendas, neste ano, em torno de 1,85 milhão de unidades, queda de 35% em relação ao desempenho de 2019. Há alguns meses, as empresas estimavam uma retração entre 40% e 45% para 2020.

A revisão ligeiramente mais otimista se deve ao ritmo mais forte de vendas nos dois últimos meses. Em setembro, a indústria emplacou cerca de 207.000 veículos (incluindo pesados). O volume é próximo aos níveis registrados nos últimos anos, entre 230.000 e 250.000 unidades mensais.

Para a associação que reúne as concessionárias, a Fenabrave, a melhora da oferta de crédito contribuiu para melhorar a média diária de vendas e, com isso, a rede de distribuição também revisou seus números, reduzindo a magnitude da queda projetada para 2020.

No entanto, apesar da melhora do cenário, a indústria automotiva ainda enfrenta uma forte queda das exportações, redução do quadro de funcionários -- com cortes que chegam a 4.100 postos de trabalho -- e  queda brutal da rentabilidade.

No início deste ano, as montadoras projetavam um mercado de 3,1 milhões de unidades vendidas. Agora, estimam um pouco mais da metade desse volume -- embora consultorias trabalhem com números mais otimistas, que giram em torno de 2 milhões de unidades.

Seja qual for o resultado para 2020, fato é que as montadoras ainda devem encerrar o ano com uma ociosidade próxima dos 50%. Após a indústria sair do fundo do poço da crise de 2016, as empresas descobriram na pandemia que sempre pode existir um alçapão.

Últimas Notícias

Ver mais
De olho nas tendências, JBS promete novidades na maior feira de alimentos e bebidas do mundo
seloNegócios

De olho nas tendências, JBS promete novidades na maior feira de alimentos e bebidas do mundo

Há 3 horas

Oggi, a 'sorveteria de bairro' com picolés de R$ 1,50, fatura R$ 850 milhões e mira primeiro bilhão
seloNegócios

Oggi, a 'sorveteria de bairro' com picolés de R$ 1,50, fatura R$ 850 milhões e mira primeiro bilhão

Há 7 horas

Por que o Grupo Águia Branca criou uma startup de mobilidade e está investindo R$ 140 milhões
seloNegócios

Por que o Grupo Águia Branca criou uma startup de mobilidade e está investindo R$ 140 milhões

Há 8 horas

Com normas, certificações e ensaios a NSF fortalece sua operação no Brasil
seloNegócios

Com normas, certificações e ensaios a NSF fortalece sua operação no Brasil

Há 9 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais