Negócios

Renova Energia fecha acordos para venda de ações na TerraForm

Empresa de geração limpa irá receber um total de 107,8 milhões de dólares pela venda de suas ações na empresa de energia renovável

Renova informou que acordo "é mais um importante passo em direção à sua nova trajetória" e para "restabelecer a estabilidade financeira da companhia" (Divulgação/Divulgação)

Renova informou que acordo "é mais um importante passo em direção à sua nova trajetória" e para "restabelecer a estabilidade financeira da companhia" (Divulgação/Divulgação)

R

Reuters

Publicado em 29 de maio de 2017 às 10h05.

São Paulo - A Renova Energia, empresa de geração limpa controlada por Cemig e Light, fechou acordos para receber um total de 107,8 milhões de dólares pela venda de suas ações na empresa de energia renovável TerraFormGlobal e pelo encerramento de uma arbitragem movida contra a companhia.

Segundo fato relevante divulgado na noite de sexta-feira, a Renova Energia celebrou acordo para vender à canadense Brookfield Asset Management as ações que a companhia detém na TerraForm Global por 92,8 milhões de dólares, a serem pagos em dinheiro na data de fechamento do negócio.

A Renova também receberá outros 15 milhões de dólares como parte de acordo com a TerraForm Global para encerrar um processo de arbitragem contra a companhia.

A Renova informou que "este é mais um importante passo em direção à sua nova trajetória" e para "restabelecer a estabilidade financeira da companhia."

A Reuters publicou no início de maio, com informação de uma fonte, que a Renova chegaria a um acordo de cerca de 120 milhões de dólares com a Brookfield por sua fatia na TerraForm Global. Segundo essa fonte, as negociações envolveriam ainda a compra do controle da Renova pela Brookfield e a injeção de novos recursos na empresa.

A TerraForm Global gere ativos de energia renovável ao redor do mundo e era controlada pela norte-americana SunEdison. Em março deste ano, a Brookfield anunciou negociações para a compra da totalidade da TerraForm Global.

A Renova havia vendido ativos à TerraForm em troca de ações, mas posteriormente viu os papéis perderem o valor devido a uma crise financeira da SunEdison, o que levou à abertura da arbitragem contra a empresa.

Acompanhe tudo sobre:Açõesacordos-empresariaisEmpresasRenova Energia

Mais de Negócios

“Vamos investir 800 milhões de dólares para transição de veículos elétricos”, diz CEO global do Uber

Universidade aposta em software com IA para aumentar a segurança no campus

Sebrae promove evento gratuito sobre sustentabilidade para pequenos negócios. Inscreva-se

Os CEOS mais bem pagos em 2023 nos EUA

Mais na Exame