Renault discute condições para união com a Fiat Chrysler

Conselho de administração da montadora francesa deve exigir manutenção de empregos e fábricas e de posição ativa na gestão

Investidores acompanham com atenção a reunião prevista para esta terça-feira, 04, no conselho de administração da montadora Renault, na França, sobre a proposta de fusão feita pela Fiat Chrysler Automobiles (FCA). No encontro, a companhia francesa deve definir como os próximos passos das negociações para uma possível união com a concorrente ítalo-americana.

A proposta da FCA prevê a criação da terceira maior montadora do mundo, com faturamento estimado em 170 bilhões de euros e vendas anuais de 8,7 milhões de veículos. A combinação das operações também traria avanço no desenvolvimento de tecnologias de eletrificação – em que a Renault é uma das protagonistas globais – e direção autônoma. A nova montadora teria ações listadas nas Bolsas de Nova York, Milão e Paris.

Apesar dos números atraentes, o acordo deve enfrentar diversos obstáculos, começando pelos acionistas das empresas envolvidas. O governo francês detém 15% das ações da Renault e há o temor de que fábricas sejam fechadas no país. A pauta deve ser um dos destaques das discussões desse encontro, com forte peso em uma eventual contraproposta. Sindicatos de trabalhadores têm pressionado o governo local, o que pode prolongar as negociações.

Analistas avaliam a proposta financeira da FCA como “justa”, mas sobram dúvidas sobre os termos do acordo e como ficariam as operações. Além disso, a Renault está para completar uma aliança global de 20 anos com a montadora japonesa Nissan – que também inclui a Mitsubishi. Ainda é nebuloso onde ficaria a parceria com as marcas japonesas. A inclusão da aliança no negócio poderia gerar vendas anuais superiores a 15 milhões de unidades.

Um novo processo de fusão parece fundamental para a FCA, que vem se preparando há mais de dez anos para liderar este movimento e ganhar não só escala, mas sustentabilidade dos negócios no longo prazo em uma indústria em forte transformação. Mas dada a complexidade da proposta, a expectativa é que ainda a reunião de hoje seja apenas o primeiro capítulo de uma longa novela.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também