Ranking mostra empresas com mais reputação; Natura está firme na liderança

Ranking da consultoria Merco também listou posição de líderes e CEOs; Luiza Helena Trajano se manteve à frente
 (Natura/Divulgação)
(Natura/Divulgação)
Por Victor SenaPublicado em 10/03/2022 06:00 | Última atualização em 11/03/2022 11:15Tempo de Leitura: 5 min de leitura

O TOP 3 de empresas com melhor reputação no Brasil tem nomes que seguem firmes na liderança. O ranking 2021 da Merco Brasil, um Monitor Empresarial de Reputação Corporativa, mostra que as posições dos líderes de hoje são os mesmos de 2020. Em primeiro lugar vem a Natura, em segundo a Ambev e em terceiro o MagazineLuiza.

A Natura é líder no ranking há desde que a pesquisa começou em 2013. Ambev está no segundo lugar desde 2018. No caso do Magazine Luiza, o movimento de chegada a esse trio foi mais recente. Em 2017, por exemplo, ela estava em 28º lugar.

De lá para cá, o crescimento da sua operação como ecossistema digital de compras e a pandemia ajudaram a alavancar o lado do e-commerce da empresa, fazendo sua reputação crescer.

“A pandemia fez com que alguns setores se destacassem mais no ranking, desde a edição de 2020. Entre eles o comércio eletrônico. Então, a Magalu já vinha num crescimento nos últimos anos e nesses dois anos de pandemia ela vai para terceiro lugar. Esse movimento tem a ver também com o movimento do setor. E dentro do setor deles, eles são destaque. É muito importante olhar para o topo do ranking e ver consistência. As empresas chegam nesse patamar e aí elas têm movimentações menores. São poucas variações no top 10”, destaca a diretora da Merco Brasil Lylian Brandão.

O ranking da Merco seleciona empresas a partir de entrevistas com diretores de grandes empresas e avaliações de diversos públicos, como jornalistas, consumidores, pesquisadores universitários.

Nesta pesquisa de 2021, foram 374 diretores de empresas na primeira etapa da pesquisa, indicando as empresas. Eles também dão notas a partir de seis atributos: resultados econômicos financeiros, qualidade da oferta comercial, talento, ética e responsabilidade corporativa, dimensão internacional da empresa e inovação.

Depois de Natura, Ambev e Magazine Luiza, os quarto e quinto lugares são ocupados pelo Grupo Boticário e pelo Google Brasil. Veja na imagem abaixo o TOP do ranking da Merco de 2021 e sua comparação com as posições de 2020.

Ranking Merco

Além da consolidação do TOP 3 na liderança, outro movimento de destaque no último ano foi a entrada de empresas digitais como Mercado Livre e Netflix. Antes da entrada das duas empresas, apenas o Google estava dentro desses 10 primeiros lugares.

Outro destaque desse TOP 10 é a presença forte do setor de cosméticos. A Avon é interessante ter crescido pq o setor de cosméticos é de grande destaque. Historicamente o ranking tem a Natura como Líder, o Grupo Boticário do TOP 5 e agora há um reforço da reforço da relevância do setor, com a chegada da Avon ao 9º lugar.

“Depois da compra pela Natura&CO, a Avon subiu de posição. Não temos como dizer que foi por isso, mas aconteceu junto”, diz Lylian.

Para a diretora da Merco, é possível interpretar que as empresas foram pontuadas nesta edição de forma um pouco diferente do que acontecia anteriormente.

Os atributos talento, ética e responsabilidade corporativa ganharam mais peso na avaliação. Antes, atributos como resultados econômicos financeiros e qualidade da oferta comercial eram de longe os mais fortes. Isso indicaria uma tendência do mercado de se atentar mais a aspectos ESG, sigla em inglês para Meio Ambiente, Social e Governança.

Movimentações fortes

Em todo o ranking de 100 empresas, a diretora Lylian Brandão destaca que empresas digitais se fortaleceram. “Verificamos o crescimento de setores digitais, tanto na questão do varejo digital, mas também em serviços de pagamentos, comércio eletrônico, serviços financeiros", explica.

No caso do iFood, por exemplo, a empresa saiu de 35º para 18º lugar. O Nubank também merece destaque porque foi, historicamente no ranking da Merco, a empresa que mais subiu. Hoje, ela está em 15º lugar.

A indústria farmacêutica cresce e hospitais também ganharam força, principalmente devido à pandemia. O Hospital Rede D'or São Luiz nunca havia estado no levantamento. Em 2021, entrou direto para o 79º lugar.

Outras empresas que não estavam no ranking em 2020 e agora entraram na listagem são o BTG Pactual (do mesmo grupo que controla a EXAME), Pfizer e Paypal.

Com a pandemia, as pessoas começaram também a valorizar mais serviços básicos. É o que explica a entrada da empresa de saneamento Sabesp em 86º lugar e de duas companhias de energia, a CPFL e a Copel, na lanterna.

Líderes

Quem também é alvo de análise de reputação no ranking da Merco são os líderes e executivos à frente das empresas. Mais uma vez, Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza ficou em primeiro lugar.

Com o crescimento da empresa, seu filho e CEO da companhia Frederico Trajano foi da sétima posição para a quarta.

Os líderes de Ambev e Natura também estão na lista de CEOs mais admirados, coincidindo com as boas posições das empresas.

No TOP 100 de líderes, um movimento de destaque é o das posições de mulheres. Todas as mulheres cresceram em sua posição. Os três maiores crescimentos também foram de mulheres: Ana Paula Assis (24º), Paula Paschoal (28º) e Cristina Junqueira (10º).

O TOP 10 também ganhou duas mulheres. No ranking anterior, eram apenas homens.