Punição a Rafinha Bastos pode tirar o CQC da Band, diz Folha

Suspensão ao humorista teria estremecido relações entre produtora e Band. Outras emissoras estariam interessadas.

Brasileiro é dono do perfil de twitter mais influente do mundo, diz o New York Times (Band/Divulgação)

Brasileiro é dono do perfil de twitter mais influente do mundo, diz o New York Times (Band/Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 12 de outubro de 2011 às 11h09.

São Paulo — A punição que a Band impôs ao humorista Rafinha Bastos, que ocupava um dos três postos na bancada do programa CQC, pode custar à Band muito mais que a insatisfação de Ronaldo, Marcos Buaiz e Wanessa, segundo a colunista Keila Jimenez, da Folha de S.Paulo.

Rafinha foi suspenso do programa depois de dizer que “comeria ela e o bebê”, se referindo à cantora Wanessa e ao filho que ela espera. A piada desagradou o publicitário Marcos Buaiz, marido dela, e o ex-jogador Ronaldo, seu sócio, que teriam pedido a cabeça de Rafinha à direção da Band. O humorista foi sacado por tempo indeterminado do programa.

Após duas semanas sem Rafinha na atração, a produtora argentina Quatro Cabezas, dona da franquia CQC, teria mostrado insatisfação à Band, segundo a Folha. Os argentinos teriam até concordado com a punição, mas não teriam gostado da postura da emissora, já que em todo o mundo os repórteres do programa têm liberdade para falar o que quiserem.

A Band tem exclusividade com a Quatro Cabezas até o fim de 2015, mas Record e SBT já estariam de olho nas atrações dos argentinos. À Folha, a Band nega que tenha a piada de Rafinha tenha abalado sua relação com a produtora.

Mais de Negócios

Cartão de crédito consignado: o que é, como funciona e quem pode contratar

O coworking que eles criaram na garagem de casa supera a pandemia, faz R$ 10 milhões e vai expandir

Grupo J&F anuncia investimento de R$ 25 bilhões e criação de 10 mil empregos no Brasil

Desenrola para empresas: veja perguntas e respostas sobre os novos programas para MEIs

Mais na Exame