Acompanhe:
seloNegócios

Presidente da Electrolux renuncia após fim de acordo com GE

O executivo afirmou que irá “passar o bastão e voltar para a sua família nos Estados Unidos”

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Electrolux: Keith McLoughlin afirmou que irá “passar o bastão e voltar para a sua família nos Estados Unidos”
 (Bartek Sadowski/Bloomberg)

Electrolux: Keith McLoughlin afirmou que irá “passar o bastão e voltar para a sua família nos Estados Unidos” (Bartek Sadowski/Bloomberg)

K
Karin Salomão

Publicado em 11 de janeiro de 2016 às, 08h59.

São Paulo - Um mês depois que a fusão entre a Electrolux e a GE foi encerrada sem sucesso, o presidente da companhia sueca, Keith McLoughlin, deixa o cargo. A partir de fevereiro deste ano, ele será substituído por Jonas Samuelson.

Samuelson é, atualmente, diretor da área de negócios de eletrodomésticos da Electrolux na Europa, Oriente Médio e África, e já foi presidente das operações globais da empresa.

Em comunicado, McLoughlin afirmou que “fortalecemos essa companhia ao aumentar significativamente o investimento em inovação voltada ao público, focando em áreas lucrativas e alavancando o nível da empresa através de integração global”.

O executivo afirmou que irá “passar o bastão e voltar para a sua família nos Estados Unidos”. Ele irá prestar consultoria para a Electrolux no mercado norte-americano.

Para o chairman do conselho de administração, Ronnie Leten, o foco do novo presidente será manter a estratégia de foco no consumidor em escala global.

Sem sucesso

A tentativa de comprar a divisão de utensílios domésticos da GE, por 3,3 bilhões de dólares, foi encerrada sem êxito.

O anúncio da aquisição havia sido feito em setembro de 2014 e era a maior da história da Electroluxpermitindo uma concorrência mais acirrada com a rival Whirpool. 

No entanto, em dezembro do ano passado a GE desfez o contrato bilionário, em meio a processos regulatórios nos Estados Unidos para a aprovação da fusão.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos pediu a um tribunal federal em julho que impedisse que a Electrolux comprasse o negócio da GE, uma vez que o acordo elevaria os preços em 5% e violava as leis nacionais antitruste.

A agência norte-americana concluiu que a Electrolux, a GE e a Whirlpool produzem 90% dos fogões e fornos vendidos a grandes clientes e administradores de propriedades nos Estados Unidos.

Últimas Notícias

Ver mais
IA pode usar mais energia do que toda a Índia até 2030, afirma CEO da Arm
Inteligência Artificial

IA pode usar mais energia do que toda a Índia até 2030, afirma CEO da Arm

Há 5 horas

Venezuela teme efeitos na economia após perda de licença dos EUA
Mundo

Venezuela teme efeitos na economia após perda de licença dos EUA

Há 5 horas

Onde assistir 'Guerra Civil'? Filme com Wagner Moura estreia hoje nos cinemas
Pop

Onde assistir 'Guerra Civil'? Filme com Wagner Moura estreia hoje nos cinemas

Há 12 horas

Lula reafirma que Brasil é contra sanções a Venezuela, dizem interlocutores do governo brasileiro
Brasil

Lula reafirma que Brasil é contra sanções a Venezuela, dizem interlocutores do governo brasileiro

Há 16 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais