Negócios

Preocupada com Airbnb, Accor quer atrair a Geração Y

“O Aribnb compete conosco em alguns segmentos de mercado, como viagens a lazer e casais com filhos”, disse Abel Castro

 (Accor/Divulgação)

(Accor/Divulgação)

Karin Salomão

Karin Salomão

Publicado em 23 de fevereiro de 2017 às 08h00.

Última atualização em 21 de setembro de 2017 às 10h20.

São Paulo – Com aquisições e novos serviços, a Accor quer ir atrair os seus clientes mais jovens. Por isso, lançou novos modelos de negócios e acomodações e tem até um conselho formado apenas por membros da Geração Y.

A razão é uma só: o Airbnb, criado há apenas 9 anos, que abala o tradicional mercado hoteleiro.

A rede francesa tem 583 mil quartos em 95 países. No Brasil, ela tem 252 hotéis e 42 mil quartos. Já a maior rede de hotéis do mundo, criada a partir da fusão da Marriott com a Starwood, tem 1,1 milhão de quartos.

O Airbnb ultrapassa esses concorrentes com folga – ele já conta com mais de 3 milhões de acomodações em 191 países. O valor de mercado da startup criada em 2008 ultrapassou US$ 30 bilhões.

“O Airbnb compete conosco em alguns segmentos de mercado, como viagens a lazer e casais com filhos”, disse Abel Castro, diretor de desenvolvimento da Accor para as Américas. “Casais preferem ficar juntos de seus filhos e acomodações no Airbnb podem sair mais baratas”, disse a Exame.com.

Por isso, ele falou que a Accor precisa repensar seus modelos de negócios, para se adaptar à nova realidade.

Uma das iniciativas nesta direção foi a criação da bandeira Jo&Joe. Um terço dos quartos será compartilhado, no mesmo estilo de um hostel, um terço será de apartamentos e kit nets e um terço de quartos normais de hotéis.

A nova rede de hotéis já tem uma abertura prevista para este ano, na França, e deverá chegar ao Brasil em breve. A propista foi criada em conjunto com funcionários jovens da Accor, diz Patrick Mendes, presidente da companhia para a América do Sul.

A empresa tem um comitê global formado por 15 conselheiros com menos de 30 anos, que discutem as ações e propostas tomadas pela diretoria.

Quartos conjugados e a não cobrança de tarifas para filhos também estão entre as iniciativas da Accor para fazer frente ao Airbnb.

Acompanhe tudo sobre:AccorAirbnbGeração YHotéisHotelariaInovação

Mais de Negócios

Justiça aceita pedido de recuperação judicial da Polishop

Fernando Goldsztein: Toda a ajuda é pouca para os atingidos pelas enchentes do RS

Rodízio caro: rede de restaurantes Red Lobster pede recuperação judicial com dívida de US$ 1 bilhão

A startup que pretende usar um fundo de R$ 150 milhões para salvar negócios no Rio Grande do Sul

Mais na Exame