Negócios
Acompanhe:

Petrobras pode divulgar balanço sem revisão de auditores

Companhia adiou a divulgação do balanço do terceiro trimestre de 2014, que era esperada para amanhã


	Petrobras: decisão dos auditores é a de esperar a conclusão das investigações da própria Petrobras
 (Dado Galdieri/Bloomberg)

Petrobras: decisão dos auditores é a de esperar a conclusão das investigações da própria Petrobras (Dado Galdieri/Bloomberg)

E
Eulina Oliveira

13 de novembro de 2014, 20h23

São Paulo - A Petrobras confirmou na noite desta quinta-feira, 13, o adiamento da divulgação do balanço do terceiro trimestre de 2014, que era esperada para amanhã, conforme antecipou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, por meio de fontes.

Segundo fato relevante divulgado pela estatal, "em observância ao princípio da transparência, a Petrobras estima divulgar, em 12 de dezembro, informações contábeis relativas ao terceiro trimestre de 2014 ainda não revisadas pelos auditores externos, refletindo a sua situação patrimonial à luz dos fatos conhecidos até essa data".

O Broadcast apurou, mais cedo, com fontes, que a auditoria PricewaterhouseCoopers decidiu não assinar as informações trimestrais do balanço da Petrobras.

A decisão dos auditores é a de esperar a conclusão das investigações que a própria Petrobras está realizando sobre as denúncias feitas pelo ex-diretor da companhia Paulo Roberto Costa, no acordo de delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato.

No fato relevante divulgado agora à noite, a Petrobras afirma que "está empenhada em divulgar as informações do terceiro trimestre deste ano revisadas pelos auditores externos o mais breve possível".

Segundo a estatal, "tão logo haja uma definição sobre a data da conclusão dos trabalhos, a companhia comunicará ao mercado, com antecedência mínima de 15 dias, a data para a sua divulgação".

Ainda segundo o comunicado, "em decorrência do tempo necessário para se obter maior aprofundamento nas investigações em curso pelos escritórios contratados, proceder aos possíveis ajustes nas demonstrações contábeis com base nas denúncias e investigações relacionadas à 'Operação Lava Jato' e avaliar a necessidade de melhorias nos controles internos, a companhia não está pronta para divulgar as demonstrações contábeis referentes ao terceiro trimestre de 2014 nesta data".