Oferta de fundo árabe pela Invenpar é rejeitada

Previ e Petros, os fundos do Banco do Brasil, consideraram os termos da oferta da Mubadala como "insatisfatórios"

Invepar: a empresa tem as concessões do aeroporto de Guarulhos, Metrô Rio, VLT Carioca e rodovias (Paulo Whitaker/Reuters)
Invepar: a empresa tem as concessões do aeroporto de Guarulhos, Metrô Rio, VLT Carioca e rodovias (Paulo Whitaker/Reuters)
R

Reuters

Publicado em 17 de agosto de 2018 às 13h56.

Última atualização em 17 de agosto de 2018 às 13h58.

São Paulo - Os fundos de previdência dos funcionários do Banco do Brasil, Previ, e da Petrobras, Petros, rejeitaram a oferta do fundo soberano Mubadala para adquirir o controle da empresa de concessões de infraestrutura Invepar .

Previ e Petros consideraram os termos da oferta vinculante como "insatisfatórios" e a proposta foi rejeitada na véspera por ambos, segundo os documentos apresentados nesta sexta-feira. Ambos os fundos detêm cerca de 25 por cento da Invepar cada.

Já a OAS, também acionista da Invepar com cerca de 24 por cento, disse que não participa do projeto de venda da participação societária e "portanto não tem conhecimento de eventuais propostas vinculantes recebidas pela Invepar e ou pelos demais acionistas".

Os comentários foram feitos após reportagem do jornal Valor Econômico na véspera, de que o fundo Mubadala, de Abu Dhabi, havia feito uma nova proposta pelo controle da Invepar, que tem as concessões do aeroporto de Guarulhos, Metrô Rio, VLT Carioca e rodovias.

 

Mais de Negócios

Grupo J&F anuncia investimento de R$ 25 bilhões e criação 10 mil empregos no Brasil

Desenrola para empresas: veja perguntas e respostas sobre os novos programas para MEIs

Raízen Power mira as pequenas empresas para oferecer economia na conta de luz

Kaszek começa a usar caixa de US$ 1 bilhão e diz estar aberta a negócios

Mais na Exame