Negócios

Nissan fará recall dos carros novos vendidos no Japão em 3 anos

O recall abrangerá 1,21 milhão de veículos de passageiros produzidos para o mercado doméstico entre outubro de 2014 e setembro de 2017

Nissan: recall inclui os modelos mais vendidos da companhia (Kazuhiro Nogi)

Nissan: recall inclui os modelos mais vendidos da companhia (Kazuhiro Nogi)

R

Reuters

Publicado em 2 de outubro de 2017 às 14h19.

Yokohama - A Nissan disse nesta segunda-feira que fará um recall de todos os 1,2 milhão de novos carros de passageiros vendidos no Japão nos últimos três anos, após descobrir que inspeções finais dos veículos não foram feitas por técnicos autorizados.

O recall é o segundo incidente recente de grande porte envolvendo má conduta de uma montadora japonesa, após aMitsubishi admitir em abril de 2016 que falsificou a economia de combustível para alguns no mercado doméstico.

Segunda maior montadora do Japão, a Nissan disse fará o recall de 1,21 milhão de veículos de passageiros produzidos para o mercado doméstico entre outubro de 2014 e setembro de 2017, incluindo a minivan Serena e o hatch compacto Note, que estão entre os mais vendidos da companhia.

Todos os veículos revistos serão submetidos a novas inspeções para verificações finais em funções como raio de direção, capacidade de frenagem e aceleração, com um custo de cerca de 25 bilhões de ienes (222 milhões de dólares).

"Devemos levar em consideração a estrutura e os procedimentos de registro, independentemente de quão ocupados estamos ou quão desfalcados estejamos", disse o presidente-executivo Hiroto Saikawa a jornalistas. "Pedimos desculpas pelo inconveniente causado aos nossos clientes".

Acompanhe tudo sobre:CarrosJapãoNissanRecallVeículos

Mais de Negócios

Você já ouviu falar na sigla DYOR? Veja por que ela é importante no universo das finanças

Com investimento de R$ 70 milhões, plataforma de renegociação de dívidas entra em operação

40 franquias baratas para quem quer deixar de ser funcionário a partir de R$ 2.850

Ele cansou de trabalhar em telecom. Agora, faz mais de R$ 1 mi com franquia de serviços automotivos

Mais na Exame