Acompanhe:
seloNegócios

Mudanças climáticas vão gerar prejuízo de US$ 1 tri para grandes empresas

Pesquisa indica que as 200 maiores empresas do mundo terão gastos adicionais nos próximos anos devido a fatores de mudança climática

Modo escuro

Continua após a publicidade
A pesquisa estima que 50% dos custos adicionais são considerados prováveis ou praticamente certos (Pawel Kopczynski/Reuters)

A pesquisa estima que 50% dos custos adicionais são considerados prováveis ou praticamente certos (Pawel Kopczynski/Reuters)

A
Agência Brasil

Publicado em 5 de junho de 2019 às, 10h57.

Mais de 200 das maiores empresas do mundo deverão perder 1 trilhão de dólares por causa das mudanças climáticas, grande parte disso apenas nos próximos cinco anos, informa um relatório divulgado em Berlim.

O estudo - realizado pela Organização Não Governamental CDP - sugere que muitas empresas ainda subestimam os perigos relacionados ao fenômeno, enquanto os cientistas alertam que o clima da terra se encaminha para limites catastróficos caso não haja reduções nas emissões de carbono na atmosfera.

"A maioria das empresas ainda tem muito a caminhar em termos de avaliar adequadamente os riscos relacionados ao clima", afirmou Nicolette Bartlett, diretora para Mudanças Climáticas da CDP e autora do relatório.

Fundada no ano 2000, a CDP (antigamente chamada de Projeto de Transparência do Carbono - nome que originou a sigla em inglês) é um organismo respeitado dentro de uma crescente coalizão de grupos de lobby, administradores de fundos, bancos centrais e políticos que acreditam que as mudanças climáticas representem um risco sistêmico para o sistema financeiro.

Metas climáticas

Ao forçar as empresas a enfrentar os riscos às suas operações, os defensores de mais transparência esperam fazer avançar investimentos suficientes na indústria para reduzir as emissões, a tempo de cumprir as metas climáticas.

O CDP analisou dados de 215 das maiores indústrias do mundo, como Apple, Microsoft, Nestlé, Unilever, China Mobile, Infosys, UBS, Sony e BHP.

Essas empresas já teriam tido prejuízos de 970 bilhões de dólares em custos adicionais devido a fatores como o aumento das temperaturas, clima caótico e o preço colocado sobre as emissões de gases causadores do efeito estufa.

Cerca de 50% desses custos são considerados prováveis ou praticamente certos.

Segundo o relatório, as companhias poderiam obter amplas vantagens com um mundo descarbonizado a tempo de evitar os cenários climáticos mais tenebrosos, que os cientistas acreditam representar um risco existencial para a civilização industrial.

As preocupações com os riscos representados pelo clima aumentaram de modo acentuado, paralelamente ao crescimento do ativismo ecológico em muitos países, enquanto ondas de calor, secas, incêndios florestais e tempestades reforçadas pelo clima se tornam cada vez mais difíceis de serem ignoradas.

Últimas Notícias

Ver mais
Boa Safra lança oferta de até R$ 400 milhões para financiar crescimento
Exame IN

Boa Safra lança oferta de até R$ 400 milhões para financiar crescimento

Há um dia

Fenômenos da natureza causam 276 interdições em rodovias em seis meses
ESG

Fenômenos da natureza causam 276 interdições em rodovias em seis meses

Há um dia

COP30: ONU Clima aposta no papel do Brasil em desenho de modelos de financiamento
ESG

COP30: ONU Clima aposta no papel do Brasil em desenho de modelos de financiamento

Há um dia

O plano de 100 dias da Sabesp para o pós-privatização
Exame IN

O plano de 100 dias da Sabesp para o pós-privatização

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais