Negócios

Minerva impulsiona internacionalização com compra da Pulsa

Para analistas, brasileiros pagaram barato pelo frigorífico uruguaio

Pulsa: a Minerva realizou a aquisição do por 65 milhões de dólares (Divulgação)

Pulsa: a Minerva realizou a aquisição do por 65 milhões de dólares (Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 19 de janeiro de 2011 às 15h08.

São Paulo – A Minerva realizou a aquisição do frigorífico uruguaio Pulsa, por 65 milhões de dólares. A operação foi bem avaliada pela corretora Ativa, tanto pelo preço como pelo incremento nos planos de internacionalização do frigorífico, segundo relatório assinado pela analista Luciana Leocadio. Mas o momento da compra poderia ser melhor, na opinião das analistas Juliana Rozenbaum e Francine Martins, do Itaú BBA.</p>

O negócio é positivo pela diversificação que permitirá à Minerva, mas o momento é difícil, segundo o Itaú BBA. “Apesar da tendência positiva, no passado recente o Uruguai vem sofrendo oferta limitada de gado, que tem conduzido os custos de produção para cima e pressionado as margens de frigoríficos, como vimos nos resultados recentes de Marfrig e JBS”, informa o relatório. As analistas destacaram a diversificação geográfica, embora ela seja relativamente pequena. 

Já a Ativa destaca as vantagens para a Minerva no valor pago na negociação. Um investimento em projeto greenfield demandaria investimentos da ordem de 80.000 reais a 100.000 reais por cabeça de gado, segundo relatório da corretora, o que equivaleria a um investimento de 67 milhões de dólares a 84 milhões de dólares pela mesma capacidade adquirida – o negócio foi fechado por 65 milhões de dólares. 

Além disso, a Pulsa tem uma geração de caixa proporcionalmente maior que a do Minerva (a margem ebitda do Pulsa é de 10%, enquanto a do Minerva é de 6,7%). A aquisição, “se pagaria” em cerca de 4,6 anos – enquanto uma aquisição da Minerva “se pagaria” em 6,5 anos, segundo o relatório. Isto porque a Minerva pagou 4,6 vezes o EV/Ebitda – valor da empresa mais sua dívida líquida sobre a geração de caixa – ante 6,5x negociado pela Minerva.

Outro ponto destacado pela Ativa foi a forma de pagamento da aquisição. Parte será feita via emissão de ações, a um preço cerca de 30% acima da cotação de fechamento de BEEF3 (as ações ordinárias da Minerva na Bovespa) ontem. 

“Estrategicamente, entendemos que esta aquisição é um passo importante para o projeto de internacionalização da companhia”, disse a analista no relatório da Ativa. A diversificação geográfica possibilita alcançar novos mercados como Estados Unidos e Canadá, países para os quais o Brasil não pode exportar carne in natura, ao contrário do Uruguai. O foco comercial da Pulsa é o mercado externo, para onde vai cerca de 85% da sua produção. A empresa possui como destino de vendas mais de 40 países. 

A Pulsa tem capacidade de abate total de 1.400 cabeças por dia (cerca de 15% da capacidade total da Minerva) e cerca de 85% de capacidade utilizada atualmente. O faturamento esperado para a empresa, em 2011, é de 125 milhões de dólares a 145 milhões de dólares, e o ebitda projetado é de 13,5 milhões de dólares. O frigorífico está localizado em uma área que, em um raio de 200 quilômetros, apresenta uma forte oferta de gado, essencial para a produção.

<

p class="MsoNormal" style="margin:0;">

 

Acompanhe tudo sobre:AgronegócioAgropecuáriaAlimentos processadosAmérica LatinaCarnes e derivadosDados de BrasilEmpresasFusões e AquisiçõesMinerva Foods

Mais de Negócios

Após falharem em 15 projetos, eles criaram uma startup de logística que está recebendo R$ 12 milhões

11 franquias baratas para trabalhar sem funcionários a partir de R$ 2.850

Inteligência Artificial no Brasil: inovação, potencial e aplicações reais das novas tecnologias

Mundo sem cookies: as big techs estão se adequando a uma publicidade online com mais privacidade

Mais na Exame