Negócios

Mercedes vende 12 unidades de veículo híbrido no Brasil em um mês

Carro emite 21% menos poluentes do que o mesmo modelo com motor convencional

Classe S 400 Hybrid: O modelo produz 186 gramas de gás carbônico por quilômetro rodado (.)

Classe S 400 Hybrid: O modelo produz 186 gramas de gás carbônico por quilômetro rodado (.)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de outubro de 2010 às 03h38.

São Paulo - Um mês após lançar o Mercedes S400 Hybrid, o primeiro automóvel híbrido comercializado no Brasil, a montadora já contabiliza os primeiros negócios. Até o momento, 12 unidades foram vendidas no país. A meta é vender entre 70 e 80 veículos do modelo em 2010, segundo a companhia. Por aqui, o modelo é oferecido por 253.500 dólares.

O carro é o primeiro do mundo feito em série a usar baterias de íons de lítio. Ele emite 21% menos poluentes do que o mesmo modelo sem motor elétrico. O classe S 400 Hybrid possui dois motores, um elétrico, de 20 cv, e outro a combustão e com potência de 279 cv. Durante as acelerações, o motor elétrico é acionado, o que proporciona economia de combustível de até 20% em relação ao mesmo modelo convencional. A versão produz 186 gramas de gás carbônico por quilômetro rodado, o equivalente à emissão de um carro com motor 1.6, segundo a Mercedes, sendo que o motor dele é 3.0.

A bateria de íons de lítio foi desenvolvida pela Johnson Controls-SAFT e possui duas vezes mais capacidade de carga que as convencionais fabricadas com níquel, segundo o fabricante. Entre os diferenciais destacados pela Johnson Controls estão, além da grande capacidade de geração de energia, o tamanho e peso reduzidos - que permitem a instalação no cofre do motor e não no porta-malas - e o uso da energia cinética gerada nas frenagens para recarga.

Acompanhe tudo sobre:AutoindústriaCarrosCarros elétricosEmpresasEmpresas alemãsIndústriaIndústrias em geralMercedes-BenzMontadorasVeículosVendas

Mais de Negócios

De entregadores a donos de fábrica: irmãos faturam R$ 3 milhões com pão de queijo mineiro

Como um adolescente de 17 anos transformou um empréstimo de US$ 1 mil em uma franquia bilionária

Um acordo de R$ 110 milhões em Bauru: sócios da Ikatec compram participação em empresa de tecnologia

Por que uma rede de ursinho de pelúcia decidiu investir R$ 100 milhões num hotel temático em Gramado

Mais na Exame