Negócios

Lucro líquido do Itaú em 2015 chega a R$ 23,35 bilhões

O lucro recorrente, que não contempla os efeitos extraordinários, cresceu 15,5% até os R$ 23,8 bilhões


	Itaú Unibanco: a carteira de crédito do banco fechou o ano com um saldo de R$ 548,07 bilhões
 (Sergio Moraes / Reuters)

Itaú Unibanco: a carteira de crédito do banco fechou o ano com um saldo de R$ 548,07 bilhões (Sergio Moraes / Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 2 de fevereiro de 2016 às 09h22.

São Paulo - O banco Itaú Unibanco, a maior entidade financeira privada do Brasil, obteve um lucro líquido de R$ 23,35 bilhões em 2015, um resultado 15,4% superior ao do mesmo período do ano anterior, informou nesta terça-feira a instituição.

O lucro recorrente, que não contempla os efeitos extraordinários, cresceu 15,5% até os R$ 23,8 bilhões.

No quarto trimestre de 2015, a entidade obteve lucro líquido de R$ 5,69 bilhões, o que representa um aumento de 3,2% frente ao resultado registrado nos últimos três meses de 2014.

A carteira de crédito do banco fechou o ano com um saldo de R$ 548,07 bilhões, com um crescimento de 4,3% em relação ao ano precedente.

O índice de inadimplência, com operações vencidas por mais de 90 dias, se situou em 3,5%, uma taxa 0,4% superior à registrada o ano passado.

O Itaú finalizou 2015 com um patrimônio líquido de R$ 106,46 bilhões.

O Bradesco e o Santander Brasil, a segunda e terceira maior entidade privada do país, respectivamente, também registraram lucro nos resultados anuais apresentados na semana passada.

O Bradesco teve um lucro líquido de R$ 17,19 bilhões, um aumento de 13,9% com relação ao resultado de 2014, enquanto o Santander fechou 2015 com um lucro de R$ 6,62 bilhões, 13,2% a mais do que o mesmo período do ano anterior.

Acompanhe tudo sobre:BancosEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasFinançasItaúItaúsaLucro

Mais de Negócios

Apple mantém diálogos com concorrente Meta sobre IA

30 franquias baratas para começar a empreender a partir de R$ 9.500

Empreendendo no mercado pet, ele saiu de R$ 50 mil para R$ 1,8 milhão. Agora, aposta em franquias

Ele quer chegar a 100 lojas e faturar R$ 350 milhões com produtos da Disney no Brasil

Mais na Exame