Negócios

Lucro e receita da Walt Disney ficam abaixo do esperado no 3º tri

A Walt Disney apresentou lucro líquido de US$ 1,747 bilhão no quarto trimestre fiscal, o equivalente a US$ 1,13 por ação

Disney: a receita também registrou queda de 3% (Gene Duncan/Disney Parks via Getty Images/Getty Images)

Disney: a receita também registrou queda de 3% (Gene Duncan/Disney Parks via Getty Images/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 9 de novembro de 2017 às 20h59.

São Paulo - A Walt Disney apresentou lucro líquido de US$ 1,747 bilhão no quarto trimestre fiscal, o equivalente a US$ 1,13 por ação. No mesmo período do ano passado, o lucro foi maior, de US$ 1,771 bilhão, ou US$ 1,10 por ação.

O resultado veio abaixo do esperado por analistas consultados pela FactSet, que esperavam ganho de US$ 1,15 por ação. Com ajustes, o lucro foi de US$ 1,07 por ação, abaixo do registrado no quarto trimestre fiscal de 2016, quando o ganho ajustado foi de US$ 1,10 por ação.

A receita também registrou queda: entre julho e setembro de 2016, foi de US$ 13,142 bilhões, passando para US$ 12,779 bilhões no mesmo período deste ano, em um recuo de 3,0%.

A companhia também decepcionou as previsões de analistas, que esperavam receita a US$ 13,30 bilhões.

O principal motivo para o recuo neste item veio do segmento de redes a cabo, que inclui a ESPN, perdeu 3%, para US$ 5,47 bilhões, enquanto analistas esperavam ligeiro crescimento. Já a receita operacional apresentou baixa de 11% entre os trimestre, passando para US$ 2,812 bilhões, na quinta contração nos últimos seis trimestres.

Nos últimos meses, a ESPN tem lutado contra a fuga de audiência maior do que a que atinge outras redes de TV pagas, ao mesmo tempo em que paga altos custos pelos direitos de transmissão de esportes. A Disney delineou planos de vender sua programação esportiva e de entretenimento diretamente aos consumidores via streaming, em um serviço que deve entrar em vigor nos próximos dois anos. Nele, serão incluídos alguns dos filmes clássicos da companhia, os produtos esportivos da ESPN e franquias de sucesso nos cinemas, como Star Wars e Os Vingadores.

Após a divulgação dos resultados, que decepcionaram os investidores, as ações da Disney chegaram a cair mais de 4% no after hours em Nova York. No entanto, os papéis da gigante do entretenimento voltaram a ser atrativas para os investidores durante a teleconferência após o balanço e, às 20h28 (de Brasília), a Walt Disney subia 1,26%.

O motivo da felicidade está na franquia Star Wars, que ganhou uma nova trilogia, de acordo com a companhia. O diretor de Os Últimos Jedi, Rian Johnson, será o responsável pelos novos filmes, com a nova saga não tendo relação com a da família Skywalker, de acordo com a empresa. Novos personagens serão apresentados "de um canto da galáxia que Star Wars ainda não explorou".

Acompanhe tudo sobre:BalançosDisney

Mais de Negócios

Empreendendo no mercado pet, ele saiu de R$ 50 mil para R$ 1,8 milhão. Agora, aposta em franquias

Ele quer chegar a 100 lojas e faturar R$ 350 milhões com produtos da Disney no Brasil

Shopee ultrapassa Amazon e se torna segundo e-commerce mais acessado do Brasil em maio; veja a lista

Por que a Cimed está disposta a pagar R$ 450 milhões pela Jequiti

Mais na Exame