Acompanhe:
seloNegócios

Lucro da Taesa sobe 17,8% no 4º trimestre, para R$ 327,1 milhões

Dívida líquida da companhia cresceu 9,7% na comparação com o trimestre anterior

Modo escuro

Continua após a publicidade
Transmissão de energia: Taesa registrou resultado positivo no trimestre (Getty Images/Getty Images)

Transmissão de energia: Taesa registrou resultado positivo no trimestre (Getty Images/Getty Images)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 29 de março de 2019 às, 14h12.

São Paulo — A Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A. (Taesa) reportou um lucro líquido, pelo padrão IFRS, de R$ 327,1 milhões no quarto trimestre de 2018, o que corresponde a um aumento de 17,8% frente aos R$ 277,6 milhões registrados em igual etapa do ano anterior. No acumulado em 12 meses, o resultado líquido somou R$ 1,071 bilhão, alta de 65,3% na comparação anual.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no critério regulatório somou R$ 260,2 milhões entre outubro e dezembro, queda de 33,9%, sendo que no ano foi a R$ 1,305 bilhão, 15,0% menor que em 2017. A margem Ebitda regulatório ficou em 78% no trimestre, dez pontos porcentuais menor, e em 85,5% no ano, queda de 3,1 pontos porcentuais (p.p.).

A companhia considera que o Ebitda IFRS não é uma medida que reflete a geração de caixa operacional, "uma vez que o padrão IFRS gera um descolamento entre DRE (demonstração do resultado) e Fluxo de Caixa". Este indicador foi de R$ 317,6 milhões no quarto trimestre, 29,8% maior que no mesmo período do ano anterior, e no ano cresceu 49%, para R$ 1,135 bilhão. As margens foram de 56,3% (-11,6 pp) e 69,4% (-1,3 pp), respectivamente.

A receita líquida IFRS somou R$ 564,1 milhões nos últimos três meses do ano passado, 56,5% maior que os R$ 360,6 milhões de igual período do ano anterior. De janeiro a dezembro, a receita totalizou R$ 1,635 bilhão, alta de 51,8%. Já a receita líquida regulatória diminuiu 25,5% nos últimos três meses do ano, para R$ 332 milhões. Em 2018, caiu 12%, para R$ 1,526 bilhão.

O desempenho da companhia por esse critério diminuiu refletindo o corte de 50% na Receita Anual Permitida (RAP) em algumas concessões nos ciclos 2017-2018 e 2018-2019.

Dívida líquida

A Taesa encerrou 2018 com uma dívida líquida de R$ 2,446 bilhões, montante 9,7% maior que os R$ 2,229 bilhões anotados três meses antes. O aumento foi influenciado pela redução de 44,4% no caixa e equivalente de caixa no período, que recuaram 44,%, para R$ 823,8 milhões.

Ao fim de dezembro, a dívida bruta alcançou R$ 3,270 bilhões, 11,9% menor que os R$ 3,710 bilhões reportados ao fim de setembro. Desse total, R$ 2,841 bilhões tinham longo prazo de amortização, enquanto R$ 428,3 milhões tinham vencimento no curto prazo, 13,3% abaixo do ano anterior.

Considerando a dívida proporcional nas empresas controladas e coligadas, o total da dívida bruta da Taesa seria de R$ 4,227 bilhões, enquanto o caixa ficaria em R$ 1,579 bilhão. Já a alavancagem, medida pela relação dívida líquida sobre Ebitda, ficaria em 1,5 vez no terceiro trimestre, 7,1% maior que a 1,4 vez registrada um ano antes.

Últimas Notícias

Ver mais
Além do macarrão: Spoleto aposta em franquia de pizza e cliente vai "criar seu prato"
seloNegócios

Além do macarrão: Spoleto aposta em franquia de pizza e cliente vai "criar seu prato"

Há 13 horas

Ricardo Bellino leva líderes empresariais ao mosteiro Zen para aprender nova abordagem de liderança
seloNegócios

Ricardo Bellino leva líderes empresariais ao mosteiro Zen para aprender nova abordagem de liderança

Há 16 horas

Faturamento das pequenas e médias empresas cresce 13,9% em janeiro
seloNegócios

Faturamento das pequenas e médias empresas cresce 13,9% em janeiro

Há 17 horas

Como abrir um negócio usando a inteligência artificial e ter mais chance de ser bem sucedido
seloNegócios

Como abrir um negócio usando a inteligência artificial e ter mais chance de ser bem sucedido

Há 18 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais