Negócios

L'Oréal aposta em 'social commerce' para digitalizar vendas nos salões

Proposta é que os profissionais de beleza possam compartilhar ofertas diretamente para suas clientes e também para seus seguidores nas redes

Expectativa é abarcar rapidamente 1 mil salões de beleza no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul (Bloomberg/Getty Images)

Expectativa é abarcar rapidamente 1 mil salões de beleza no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul (Bloomberg/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 24 de abril de 2022 às 14h54.

A L'Oréal Brasil lança nesta segunda-feira a plataforma online de vendas chamada o Meu Segredo PRO, uma aposta no social commerce, tendência do varejo que reúne varejo digital com redes sociais. A proposta é que os profissionais de beleza possam compartilhar ofertas diretamente para suas clientes e também para seus seguidores em redes sociais.

Tiago Carvalho, diretor geral da L'Oréal Produtos Profissionais, explica que a expectativa é abarcar rapidamente 1 mil salões de beleza no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul. Como cada salão tem, em média, cinco funcionários, a expectativa é alcançar 5 mil profissionais com a plataforma. Dentro de três anos, a expectativa é ainda maior, de alcançar 5 mil salões de beleza.

"A plataforma permite que os salões cadastrem os profissionais de beleza para comercializar os produtos da marca. Ambos recebem comissões nas vendas digitais", afirma Carvalho, acrescentando que a plataforma deve chegar a São Paulo e outras capitais a partir de julho deste ano. "São salões mais das capitais, porque precisamos dar suporte tecnológico."

Tenha acesso agora a todos materiais gratuitos da EXAME para investimentos, educação e desenvolvimento pessoal

Ele explica que o projeto viabiliza a digitalização do salão, oferecendo a plataforma e a solução tecnológica desde a compra online à entrega do pedido, passando pelo atendimento ao consumidor. A expectativa da L'Oréal Produtos Profissionais é que, em breve, mais de 50% das vendas diretas da empresa para os consumidores passará por um salão ou um cabeleireiro.

"Os principais profissionais de beleza são muito ativos em redes sociais, com 10 mil ou mais seguidores. Eles poderão comunicar a seus seguidores sobre produtos", disse Carvalho, citando comissão inicial de 6% para salão e 6% para os profissionais de beleza.

Para as consumidoras, o aplicativo traz o primeiro modelo de negócio com compartilhamento de painéis de recomendação indicados exclusivamente para o cliente. Após os procedimentos no salão, o profissional indica os produtos necessários, disponíveis para compra no próprio aplicativo, especificamente para o cabelo daquela cliente.

O lançamento faz parte do plano estratégico de suporte e aceleração digital da empresa, que foi impulsionado pela pandemia. A tecnologia do aplicativo foi desenvolvida pela Replika Software, startup que recebeu investimento de venture capital do Grupo L'Oreal. O Brasil será a primeira operação da L'Oreal a utilizá-la, mas Reino Unido e Alemanha estão na fila.

A L'Oréal Produtos Profissionais distribui produtos pelos salões de beleza do mundo inteiro. Através das marcas L'Oréal Professionnel, Kérastase e Redken, a unidade atua em tratamento capilar, cor, forma e estilo.

Acompanhe tudo sobre:Cosméticosindustria-de-cosmeticosplanos-de-negociosVarejo

Mais de Negócios

Franquia ou um negócio próprio: qual compensa mais? Especialista tem a resposta

Como uma startup organizou uma vaquinha de R$ 76 milhões para o Rio Grande do Sul

Os engenheiros da saúde: como essa startup quer evitar perdas financeiras nos hospitais

IBM aposta em padrões abertos para incentivar o uso em escala da IA

Mais na Exame