Negócios

L'Oréal inicia negociações para vender The Body Shop à Natura

A Natura fez uma oferta firme que estima o valor da The Body Shop em 1 bilhão de euros; a proposta está sujeita à aprovação no Brasil e nos EUA

The Body Shop: Fundada no Reino Unido em 1976, a rede está presente hoje em mais de 60 países, mas tem enfrentado dificuldades nos últimos anos (The Body Shop/Divulgação)

The Body Shop: Fundada no Reino Unido em 1976, a rede está presente hoje em mais de 60 países, mas tem enfrentado dificuldades nos últimos anos (The Body Shop/Divulgação)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 9 de junho de 2017 às 06h44.

Última atualização em 9 de junho de 2017 às 10h11.

Paris - A L'Oréal anunciou hoje que iniciou negociações exclusivas para vender a rede de lojas The Body Shop para a Natura Cosméticos S.A..

A Natura fez uma oferta firme que estima o valor da The Body Shop em 1 bilhão de euros (US$ 1,12 bilhão), informou a L'Oréal em comunicado. A proposta está sujeita à aprovação de órgãos regulatórios no Brasil e nos EUA.

Fundada no Reino Unido em 1976, a The Body Shop está presente hoje em mais de 60 países, mas tem enfrentado dificuldades nos últimos anos, em meio ao acirramento da concorrência e fraco desempenho no mercado britânico. Em 2016, a rede registrou queda de 4,8% nas vendas, a 920,8 milhões de euros.

"Os valores éticos e experiência da Natura fazem dela a perfeita nova controladora da The Body Shop para acelerar o rejuvenescimento da marca e sua futura expansão", comentou Jeremy Schwartz, executivo-chefe e presidente do conselho de administração da The Body Shop.

A L'Oreal disse esperar concluir a venda da The Body Shop ainda em 2017. Fonte: Dow Jones Newswires.

Acompanhe tudo sobre:BelezaFusões e Aquisiçõesindustria-de-cosmeticosNaturaThe Body Shop

Mais de Negócios

A malharia gaúcha que está produzindo 1.000 cobertores por semana — todos para doar

Com novas taxas nos EUA e na mira da União Europeia, montadoras chinesas apostam no Brasil

De funcionária fabril, ela construiu um império de US$ 7,1 bilhões com telas de celular para a Apple

Os motivos que levaram a Polishop a pedir recuperação judicial com dívidas de R$ 352 milhões

Mais na Exame