Negócios

Hopi Hari tem registro suspenso pela CVM

Como consequência, o parque de diversões fica proibido de negociar ações, títulos de dívidas e qualquer outro papel nos mercados regulamentados

Hopi Hari: a empresa ficou há mais de 1 ano sem prestar informações para o órgão (Hopi Hari/Divulgação)

Hopi Hari: a empresa ficou há mais de 1 ano sem prestar informações para o órgão (Hopi Hari/Divulgação)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 24 de maio de 2017 às 19h15.

A Comissão de Valores Imobiliários (CVM)comunicou nesta quarta-feira, 24, a suspensão do registro de companhia aberta do parque de diversões Hopi Hari.

De acordo com o comunicado, a medida foi tomada porque a empresa ficou há mais de um ano sem prestar informações para o órgão responsável pela fiscalização e regulação do mercado de valores mobiliários no Brasil.

Como consequência da suspensão, o Hopi Hari fica, agora, proibido de negociar ações, títulos de dívidas (chamados de debêntures) e qualquer outro papel nos mercados regulamentados (balcão organizado, bolsa ou balcão não organizado).

Segundo a CVM, no entanto, a suspensão não exime a companhia ou seus controladores e administradores, de irregulares e infrações cometidas antes do cancelamento do registro.

Ainda de acordo com a CVM, o parque negociava ações da empresa na B3, nono nome da BM&FBovespa) até o dia 28 de abrir. A negociação, no entanto, foi suspensa pela CVM no dia 2 de maio.

Acompanhe tudo sobre:CVMEmpresasHopi HariParques de diversões

Mais de Negócios

Startup brasileira quer usar hemogramas e IA para acelerar diagnóstico do câncer de mama

A rota da KLM para transformar viagens em conexões inesquecíveis

Lembra dela? TecToy volta a apostar no mercado game e lança computador, acessórios e até jogos

Giovanna Antonelli, Caio Castro, Deborah Secco e mais: conheça franquias com sócios famosos

Mais na Exame