Acompanhe:
seloNegócios

Hering vê potencial mas não muda guidance de abertura de lojas

Estudo divulgado ontem pela empresa estima potencial de 604 lojas da rede no Brasil. A marca espera encerrar 2010 com 325 lojas

Modo escuro

Continua após a publicidade
Hering: a capacidade de execução da empresa é de 100 lojas por ano, entre novas unidades e reformas de antigas (Germano Lüders/Exame)

Hering: a capacidade de execução da empresa é de 100 lojas por ano, entre novas unidades e reformas de antigas (Germano Lüders/Exame)

B
Baetriz Olivon

Publicado em 10 de outubro de 2010 às, 03h41.

São Paulo - A Hering divulgou nessa semana que há um potencial estimado de 604 lojas da rede. Apesar dessa possibilidade, a empresa está avaliando as implicações de uma eventual aceleração no seu plano de expansão. Enquanto isso, ela vai manter seu plano de crescimento, que prevê encerrar 2010 com 325 lojas, 2011 com 367 e 2012 com 405.

"O estudo de potencial não altera o guidance, porque outras coisas tem que ser avaliadas, como a capacidade de execução", afirmou Fábio Hering, presidente e diretor de relações com investidores da Hering, em apresentação do estudo à analistas. "No momento oportuno e se houver necessidade  nós faremos alteração do guidance", disse o presidente. Atualmente, a capacidade de execução da empresa é de 100 lojas por ano, entre novas lojas e reformas de antigas.

A Hering afirma que está avaliando "tudo que seria necessário para acelerar o crescimento", como investir no aumento da sua área de projetos e estrutura e nos fornecedores de equipamentos de lojas. "O principal ponto a ser avaliado é a disponibilidade de pontos comerciais e os impactos que pode haver na rede atual", disse Frederico de Aguiar Oldani, diretor de finanças.

A empresa não vê possibilidade de gargalos em logística, mas em produção. "Hoje a gente está trabalhando olhando 2012 e 2013 para ver o que vamos precisar de capacidade e já estamos tomando as decisões necessárias de capacidade (quanto à manufatura) agora", disse o diretor.

Para todas as lojas potenciais identificadas a rede já possui uma expectativa do potencial de venda. Para o presidente, a "quase única" alavanca de crescimento da Hering é que ela tem se democratizado cada vez mais, o que significa mais pessoas comprando e com maior frequência. "É uma questão de cronograma (a expansão). Tudo parece muito favorável, até o ambiente macroeconômico. O que vale é desenvolver um cronograma para dizermos com segurança que conseguimos cumprir", disse o presidente.

O estudo teve como base premissas de penetração da marca Hering e dados socioeconômicos mais recentes como renda, potencial de consumo e distribuição geográfica. A empresa acredita que o potencial de lojas tende a aumentar com uma eventual melhoria nesses mesmos indicadores.  "A gente não vê 604 lojas como limite, mas como um potencial hoje", disse Oldani. 
 


Em 2006, com 151 lojas, a Hering traçou seu plano de expansão para encerrar 2010 com 325 lojas. A expectativa da empresa é reformar todas as lojas que ainda estão no antigo formato até o final de 2011.

Localização

Há uma concentração de lojas nas regiões sul e sudeste (com 242 lojas, enquanto o nordeste possui 25, o centro-oeste, 20 e o norte, cinco). O estudo que prevê o potencial de expansão da rede estima uma possibilidade de 19 novas Hering Stores no norte, quatro no nordeste, 14 no centro-oeste, 51 no sul e 142 no sudeste.  Foram identificadas 277 cidades com potencial de ter lojas. Até o fim do ano a Hering estará em 147 delas, segundo a empresa.

O estudo atrela esse potencial de abertura de novas lojas a cidades de médio e grande porte; com potencial de consumo elevado na classe A e B; benchmark com outras redes de lojas e abertura de shoppings centers. "Mesmo com o plano ainda haverá uma concentração nas regiões sul e sudeste, mas a nossa distribuição geográfica anda muito em linha com a nossa distribuição de consumo", disse o diretor de finanças.

Hering Kids

O estudo realizado pela empresa não analisa a Hering Kids. Mas a rede identifica potencial para crescer no mercado infantil. Ela definiu o exercício de lojas-piloto nesse segundo semestre. Nos próximos dois meses, serão abertas quatro lojas Hering Kids em São Paulo, segundo a empresa. "Elas servirão de base para, no início de 2011, definirmos como será essa rede, qual o seu potencial", disse o presidente. Em algumas dessas lojas piloto haverá uma parceria com a loja de roupas infantis PUC, que também é da rede.

Leia mais sobre bens de consumo

Acompanhe as notícias de Negócios do site EXAME no Twitter 

 


Últimas Notícias

Ver mais
40 franquias para empreender e faturar mais de R$1 milhão em 2024
seloNegócios

40 franquias para empreender e faturar mais de R$1 milhão em 2024

Há 15 horas

Internet ruim e apagão: os desafios da startup amapaense Tributei para criar um negócio de milhões
seloNegócios

Internet ruim e apagão: os desafios da startup amapaense Tributei para criar um negócio de milhões

Há 17 horas

Quem é o mineiro que investiu R$ 38 milhões em um parque de realidade virtual no interior de SP 
seloNegócios

Quem é o mineiro que investiu R$ 38 milhões em um parque de realidade virtual no interior de SP 

Há um dia

Mistura do Brasil com Taiwan: como eles transformaram uma bebida asiática em um negócio de R$ 30 mi
seloNegócios

Mistura do Brasil com Taiwan: como eles transformaram uma bebida asiática em um negócio de R$ 30 mi

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais