HBO online permite que fãs de Game of Thrones abandonem TV

A rede de TV prêmium da Time Warner perturbou anteontem o setor dizendo que planeja oferecer um serviço on-line nos EUA no ano que vem

	Game of Thrones: as mudanças poderiam ser uma ameaça para a Comcast Corp., para a Time Warner Cable e para a DirecTV
 (Divulgação)
Game of Thrones: as mudanças poderiam ser uma ameaça para a Comcast Corp., para a Time Warner Cable e para a DirecTV (Divulgação)
C
Crayton Harrison, Scott Moritz e Doni BloomfieldPublicado em 17/10/2014 às 14:53.

Nova York - A HBO dará aos assinantes de TV a cabo mais um motivo para “cortarem a corda”.

A rede de TV prêmium da Time Warner Inc., criadora de “Game of Thrones”, perturbou anteontem o setor dizendo que planeja oferecer um serviço on-line nos EUA no ano que vem que não requererá uma assinatura a serviços de TV a cabo ou por satélite.

A Showtime, da CBS Corp., disse que talvez faça o mesmo. As mudanças poderiam ser uma ameaça para a Comcast Corp., para a Time Warner Cable Inc. e para a DirecTV.

Embora ainda não tenha sido anunciado qual seria o custo da nova HBO autônoma, é provável que ela ofereça uma alternativa mais barata para telespectadores que querem parar de pagar US$ 50 ou mais por mês por pacotes padrão de TV a cabo com canais a que eles mal assistem.

Com cada vez mais programação disponível on-line sem uma assinatura de TV paga – de jogos de futebol americano e desenhos animados japoneses a “House of Cards”, do Netflix Inc. –, os consumidores têm cada vez mais possibilidades de montarem sua própria seleção de entretenimento por vídeo.

“É uma má notícia para os fornecedores de TV paga”, disse Roger Entner, analista da Recon Analytics LLC em Dedham, Massachusetts. “Há margens de lucro de 50 por cento em jogo para eles. Sem a HBO, as pessoas não necessariamente irão assinar serviços de TV a cabo”.

A AT&T Inc., que comprará a DirecTV, disse que espera continuar trabalhando de perto com a HBO.

“Está claro que os clientes estão procurando muitas opções de conteúdos para aquilo a que eles querem assistir, independentemente do lugar ou do dispositivo utilizado”, disse Fletcher Cook, porta-voz da AT&T. “É por isso que oferecemos várias opções, de pacotes de TV paga e conteúdos de nicho a ofertas reduzidas”.

O número de americanos que pagam para assistir TV com serviços de cabo, satélite ou fibra ótica se reduziu em mais de 250.000 pessoas em 2013, o primeiro declínio para um ano completo, segundo a empresa de pesquisa SNL Kagan.

Amarrados on-line

A tendência não necessariamente significa o final do negócio da TV a cabo, que ainda conta com 99 milhões de clientes nos EUA. Apesar de a indústria se referir às pessoas que abandonam seus serviços tradicionais de TV paga como “cortadores de cordas”, na verdade elas não estão eliminando suas conexões, porque precisam uma linha de internet de banda larga para ver vídeos por streaming.

Empresas de TV a cabo como a Comstat são algumas das maiores fornecedoras de internet de alta velocidade, e a receita que elas perdem com quem para de pagar TV a cabo pode ser compensada pelo menos parcialmente cobrando por mais velocidade e melhores conexões.

Mais importante ainda, muitos consumidores se depararão com que um pacote tradicional de TV a cabo ainda oferece muito mais variedade do que um grupo de assinaturas de TV paga. A Comcast cobra uma taxa de entrada de US$ 49,99 por mês pelo seu pacote de TV “Digital Starter”, com mais de 140 canais, entre eles a MTV, a CNN e a ESPN.

A cifra se compara com um plano do Netflix de US$ 7,99 por mês, mais US$ 6,95 pelo serviço de animê Crunchyroll, US$ 4,99 pela assinatura para shows ao vivo da Qello.com e uma assinatura para assistir on-line á temporada completa de jogos da National Football League por US$ 199,99.

Satisfação

Os custos começam a acumular-se, porém o modelo à la carte dá aos telespectadores a satisfação de pagarem somente por aquilo com que se importam.

Por outro lado, os assinantes da TV a cabo tradicional lamentam o fato de pagarem por jogos de hóquei sobre gelo e reality shows a que nunca assistem.

De particular interesse para o setor de TV são os telespectadores mais jovens, que adotaram o vídeo on-line – incluindo a utilização de senhas de pais, amigos ou até mesmo de completos desconhecidos para assistirem a HBO Go, o serviço on-line atual da rede para assinantes de TV a cabo. “Haverá canibalização”, disse James McQuivey, analista da Forrester Inc. “A questão é só se a HBO quer participar ou não”.