Grupo Habib’s remodela e expande rede de churrascarias

As churrascarias do grupo, que servem e 20 a 25 mil rodízios todos os meses em cada unidade, receberam investimento

São Paulo – Esquecida atrás de milhares de esfihas e coxinhas, está a rede Tendall de churrascarias do grupo Habib’s. Depois de décadas sem investimentos para expansão, mas com um público fiel, os restaurantes foram renovados e novas unidades serão abertas nos próximos anos.

A última reinauguração, depois de uma pesada reforma, foi a unidade Tendall próxima ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Os outros cinco locais já foram reformados e a empresa espera abrir mais quatro até 2019. Atualmente, são cerca de 300 colaboradores que atendem uma média de 76 mil clientes por mês.

As churrascarias surgiram muito antes das famosas esfihas. “É uma história longa, de 36 anos”, conta Antônio Alberto Saraiva, fundador e presidente do grupo, saudoso.

Enquanto ainda cursava faculdade de medicina, ele foi com os colegas a um rodízio de pizza e achou a ideia incrível. “Dava para pedir cinco tipos de pizza diferente para cinco amigos”, diz. Logo copiou a ideia e abriu o rodízio de pizza, que funcionou bem por cerca de seis anos até ser transformado em uma churrascaria.

Saraiva abriu mais cinco unidades em São Paulo, que existem até hoje, das marcas Tendall e Picanha Grill. A rede árabe, que dá nome ao grupo Habib’s, surgiu no meio dessa história, quando o empresário herdou a pequena padaria portuguesa do pai, que morreu em um assalto durante o trabalho.

O nome Habib’s cresceu. Nas últimas décadas, chegou a mais de 400 restaurantes, lançou a marca Ragazzo que tem outras 100 unidades e abriu até um posto de gasolina. O plano é chegar a 2022 com 1.213 unidades, com forte crescimento no formato Ragazzo Express.

As churrascarias ficaram de lado nesse processo de expansão. “Não são conhecidas do grande público, apesar de ter uma clientela fiel”, disse. Ele garante que serve de 20 a 25 mil rodízios todos os meses em cada unidade.

Depois de 30 anos, Saraiva decidiu remodelar os espaços das churrascarias, para torná-las mais modernas. Ao invés de manter duas marcas, as unidades Picanha Grill passarão a fazer parte da marca Tendall Grill.

O investimento em cada reforma foi de 1,5 milhão de reais a 2 milhões de reais.

Futuro

O processo foi conduzido pela agência PPM Brasil e o escritório de arquitetura Vector7, que também fazem parte do grupo Habib’s. A empresa é conhecida por concentrar todos os processos, da fabricação dos ingredientes à publicidade dos produtos. Nas churrascarias, por exemplo, a compra dos ingredientes é feita de forma centralizada, para reduzir os custos.

Depois das reformas, o grupo prevê abrir mais três ou quatro unidades nos próximos dois anos, todas em São Paulo.

“É uma época muito boa para abrir churrascarias”, diz o presidente. Segundo ele, as atuais redes de carne são muito caras e inacessíveis para o público geral e, por isso, há oportunidade para uma rede mais barata. “Em alguns lugares você paga mais de 100 reais só pelo rodízio, não dá para uma família frequentar com regularidade”, diz ele.

Com rodízio a partir de 29 reais para o almoço durante a semana, o empresário quer atrair o público que buscar pelo preço baixo e qualidade – que também é o objetivo das reddes Habib’s e Ragazzo.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.