Acompanhe:
seloNegócios

Grupo Fleury investe em medicina preventiva

Conhecido pelos serviços de diagnósticos, rede de laboratórios agora diversifica a atuação

Modo escuro

Continua após a publicidade
Grupo Fleury: a previsão de investimentos para 2010 é de 200 milhões de reais  (./Exame)

Grupo Fleury: a previsão de investimentos para 2010 é de 200 milhões de reais (./Exame)

B
Beatriz Olivon

Publicado em 10 de outubro de 2010 às, 03h41.

São Paulo - O Grupo Fleury, conhecido como uma das maiores redes de laboratórios para diagnósticos clínicos do país, está diversificando sua atuação para crescer. Em foco, estão a medicina preventiva, a gestão de doenças crônicas e a promoção de saúde.

De acordo com o diretor executivo de Medicina Preventiva e Terapêutica do grupo, Omar Hauache, a primeira iniciativa da diversificação foi o serviço de check up, que ganhou corpo nos últimos cinco anos e serviu como incentivo para a criação de novos produtos. A empresa começou, então, a investir em serviços voltados à medicina preventiva, à prestação desse serviço a empresas e à gestão de doenças crônicas.

“O check up é uma vitrine muito grande pra gente, porque mostra para o executivo o grupo, tem uma característica estratégica”, diz Hauache. O serviço cresceu 28% no segundo trimestre, em relação ao mesmo período de 2009, em receita e volume de atendimentos.

Promoção de saúde

Outra área que vem crescendo é o de promoção de saúde em empresas. No segundo trimestre, a receita gerada por esse serviço aumentou 60% sobre igual intervalo do ano passado.

A unidade de promoção de saúde em empresas foi formatada há cerca de cinco anos, mas tem crescido de forma expressiva nos últimos dois, segundo o diretor. Entre os fatores que colaboram para isso estão o envelhecimento da população.

A medicina preventiva, por sua vez, não tem unidades específicas. O atendimento é prestado nas empresas, e mobiliza cerca de 150 funcionários do grupo. A área é promissora, uma vez que apenas 22% da população brasileira conta com cobertura de planos privados de saúde, segundo Hauache.

A empresa não apresenta o valor de investimentos segmentado por negócio, mas apenas de forma global (sem aquisições). Em 2009, os investimentos totalizaram 38 milhões de reais e, para 2010, o número previsto é de 200 milhões. A empresa realizou 24 aquisições desde 2002, e segue negociando com empresas do seu interesse. 
 


Doenças crônicas

A área de gestão de doenças crônicas é a que tem maior perspectiva de crescimento dentro do grupo. Inaugurada há um ano e meio em parceria com uma empresa dos Estados Unidos, atualmente o serviço só é oferecido em São Paulo.

O alvo são as empresas e operadoras de planos de saúde. O funcionamento é simples. A unidade monitora os pacientes quanto à adesão aos tratamentos indicados pelos médicos. Isso é feito por meio de telefonemas realizados por enfermeiras em um call center e também por visitas ao paciente.

Segundo o diretor, 10% da população possui doenças crônicas. E essa fatia sozinha é responsável por 50% dos custos para as operadoras de planos de saúde. “Temos 25.000 vidas contratadas nessa gestão, e isso está crescendo”, afirma Hauache. A área foi implantada no segundo semestre de 2008. O grupo, porém, ainda não tem resultados oficiais sobre a diminuição de uso dos planos de saúde.

Para o Fleury, uma tendência que deve se fortalecer são as operações em hospitais. Atualmente são dez clientes hospitalares que terceirizam serviços de análises clínicas e imagens. Hoje 10% da receita do grupo vem disso; em 2009, era em torno de 6,5%.

“O plano é que medicina preventiva, crônicos, check up e promoção de saúde cheguem perto de 8% de participação no faturamento do grupo, e as operações em hospitais devem chegar a 15%”, segundo o diretor. Atualmente, 85% da receita do Grupo Fleury vem da medicina diagnóstica feita nas 140 unidades de atendimento.

Leia mais sobre serviços de saúde

Acompanhe as notícias de Negócios no Twitter  


Últimas Notícias

Ver mais
Botulismo: o que é a doença contraída por brasileira internada nos EUA
Pop

Botulismo: o que é a doença contraída por brasileira internada nos EUA

Há 13 horas

Itaú vê espaço para consolidação no setor de saúde e aponta quem irá liderar de M&As
seloMercados

Itaú vê espaço para consolidação no setor de saúde e aponta quem irá liderar de M&As

Há um dia

'Brasil é fundamental para blockchain", revela Avalanche, rede da criptomoeda AVAX
Future of Money

'Brasil é fundamental para blockchain", revela Avalanche, rede da criptomoeda AVAX

Há um dia

Qual o melhor horário para se exercitar? Estudo responde
Ciência

Qual o melhor horário para se exercitar? Estudo responde

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais