Acompanhe:
seloNegócios

Grupo de mídia fundado no Amazonas vira sócio do fundo Bossanova e mira receita de R$ 500 milhões

O grupo Mene & Portella, com negócios em publicidade e na gestão de influenciadores digitais, comprou participação minoritária no fundo de VC fundado por João Kepler e Pierre Schurmann

Modo escuro

Continua após a publicidade
Túlio Mêne Melo e Nilio Braga Portella, empreendededores seriais de Manaus agora sócios da Bossanova Investimentos: economistas que entraram no mercado da Comunicação com a ideia de mudar tudo (Divulgação/Divulgação)

Túlio Mêne Melo e Nilio Braga Portella, empreendededores seriais de Manaus agora sócios da Bossanova Investimentos: economistas que entraram no mercado da Comunicação com a ideia de mudar tudo (Divulgação/Divulgação)

L
Leo Branco

Publicado em 5 de setembro de 2022 às, 06h10.

Um dos nomes mais ativos na publicidade da região Norte, o grupo de comunicação Mene & Portella comprou participação minoritária na Bossanova Investimentos, venture capital liderado por João Kepler e Pierre Schurmann com mais de 1.600 startups no portfólio.

A entrada dos sócios será via CaptAll Ventures, o veículo de venture capital aberto pelo Mene & Portella para coordenar os investimentos em negócios de tecnologia.

Além da Mene & Portella, Lessandro Herbert, CEO da Hebert Engenharia e da Coppi Empreendimentos, também entrou no grupo de sócios do fundo de venture capital.

Assine a EMPREENDA e receba, gratuitamente, uma série de conteúdos para impulsionar o seu negócio!

O que é a Bossanova Investimentos

Mene & Portella se juntam a um time de referências entre startups e que também são sócios minoritários da Bossanova:

  • Banco BMG
  • Grupo Primo, do youtuber Thiago Nigro
  • Thiago Oliveira, fundador da empresa de logística IS Log & Services
  • Janguiê Diniz, fundador da Ser Educacional e Instituto Êxito

A chegada dos sócios vem num momento ativo da Bossanova, eleita a 15ª venture capital mais ativa em early stage no segundo trimestre deste ano — único nome da América Latina no ranking global da americana PitchBook Data, uma das principais empresas fornecedoras de dados sobre capital privado do mundo.

Também foi apontada como a 8ª venture capital mais ativa em investimentos feitos fora do eixo EUA, Europa e China no mesmo período.

No primeiro semestre de 2022, a Bossanova investiu 26,8 milhões de reais em startups, mais que o dobro em volume de investimentos em comparação com o mesmo período do ano passado, com 13 milhões de reais.

Quais são os planos para a nova sociedade

Os sócios da Mene & Portella conheceram Kepler num curso do fundador da Bossanova sobre investimento-anjo, anos atrás. Desde então, os três mantêm um relacionamento estreito nos negócios.

Em agosto, os sócios da Mene & Portella e a Bossanova investiram juntos na gestora de canais de influenciadores Non Stop.

“Temos a mentalidade de valorizar quem agrega ao crescimento da Bossanova. Desde que a CaptAll Ventures e o Lessandro Herbert começaram a investir conosco, viemos estreitando nossa relação, percebendo que as especialidades e as experiências que eles carregam poderiam se unir com nossos planos futuros e trazer para nós um dinamismo ainda maior no mercado”, diz Kepler.

A expectativa é que os novos sócios se sentem no board da Bossanova com ideias para melhorar a comunicação dos negócios investidos pela Bossanova.

"Queremos o expertise deles de repensar estratégias de mídia para replicar algumas boas práticas na Bossanova", diz.

mene-portella-bossanova-investimentos-fundo-startup-socio-joao-kepler-janguie

(Da esquerda para a direita) Nilio Braga Portella, Janguiê Diniz, João Kepler, Túlio Mêne, Lessandro Hebert, Eduardo Dominicale (BMG), sócios da Bossanova Investimentos: mais de 1.600 startups no portfólio, 75 exits e 26 milhões de reais aportados no primeiro semestre de 2022

Quem são os sócios

Por trás da Mene & Portella estão os empreendedores Túlio Mêne Melo e Nilio Braga Portella, amigos desde os tempos de faculdade de Economia numa universidade de Manaus.

A história da Mene & Portella é um exemplo de como o mindset de inovação radical deixou de ser um privilégio das rodas da Faria Lima para virar conversa diária de empreendedores do Oiapoque ao Chuí.

Na virada dos anos 2010, os sócios começaram uma agência de publicidade para atender clientes da região Norte.

"Éramos estudantes de Economia em busca de uma oportunidade de negócio para começar do zero e crescer rápido", diz Mêne Melo.

"Tínhamos nada a ver com o universo da comunicação. A decisão de abrir algo nesse mercado foi depois de montar uma listinha com ideias de negócios e seus prós e contras."

Nos primeiros anos, um dos pontos fortes era a montagem de materiais promocionais a empreendimentos de construtoras nacionais, como Tecnisa e Gafisa, lançados na capital do Amazonas.

De lá para cá, a atenção dos sócios voltou para outros negócios de mídia capazes de agarrar o tempo de uma audiência vasta e diversificada.

"O fato de não termos background em Comunicação nos obrigou a correr atrás de muita informação já com o negócio rodando", diz Portella.

"E pra gente estava claro que só um negócio de publicidade era pouco para o tamanho das possibilidades abertas com as novas mídias."

A guinada começa a ganhar forma há seis anos com o investimento dos sócios na One Big Media, uma agência de Minas Gerais focada na gestão de influenciadores do YouTube, atualmente com mais de 100 canais.

Onde estão as operações da Mene & Portella

No portfólio estão figurões como o comentarista Reginaldo Leme, ex-Globo e atualmente titular do canal AutoMotor.

O lucro das operações de publicidade acabaram reinvestidos na compra de participações minoritárias em outros negócios de mídia.

"Entendemos nosso papel como o de direcionar recursos e expertise para todo tipo de negócio capaz de atender às novas demandas do universo de mídia", diz Mêne Melo.

Até a aquisição da Bossanova, o portfólio da Mene & Portella estava composto por:

  • One Big Media: media tech sócia de mais de 120 ativos digitais, boa parte deles canais no YouTube e Kwai com mais de 70 milhões de inscritos e mais de 12 bilhões de visualizações.
  • Trakto: startup de Alagoas desenvolvedora de um plataforma de design gráfico que permite ao pequeno negócio criar peças de marketing. A empresa possui mais de 500 mil usuários e 15% do faturamento vem de assinaturas no exterior. Desde a criação, a startup já captou 10 milhões de reais.
  • ShowKase: empresa de tecnologia para criação de lojas virtuais, boa parte delas voltada à venda de produtos licenciados com a marca de influenciadores digitais.
  • Hitbel: consultoria para a gestão de direitos autorais do conteúdo publicado por influenciadores digitais em plataformas de streaming como YouTube, Deezer, Spotify e Tik Tok.
  • OnMovie: plataforma para edição de vídeos a baixo custo
  • Oinc Filmes: produtora de conteúdo gospel, como o desenho animado Três Palavrinhas.
  • Non Stop: empresa especializada em marketing de influência e conteúdo on demand, responsável por nomes como Whindersson Nunes, Gkay e Simone Mendes, cuja participação minoritária foi adquirida em agosto deste ano.
  • CaptAll Ventures: veículo de investimento em startups que tem como foco geração de audiência e economia criativa, como martechs, adtechs e mediatechs, e conta com mais de 200 startups investidas.

Em 2021, o grupo de negócios ao redor da Mene & Portella faturou 250 milhões de reais, um salto frente ao volume de 2020: 100 milhões de reais.

Para este ano, a expectativa dos sócios é de alta de 100% nas receitas e chegar à marca de 500 milhões de reais.

VEJA TAMBÉM:

Hora é de buscar o breakeven nas startups, diz João Kepler

Para atrair investidores, cidades usam selos de qualidade para startups

Give back: Bossanova cria grupo para empreendedores investirem em startups

 

Últimas Notícias

Ver mais
Como a Casa do Construtor fatura R$ 834 milhões alugando de furadeiras a betoneiras
seloNegócios

Como a Casa do Construtor fatura R$ 834 milhões alugando de furadeiras a betoneiras

Há 3 horas

Em negócio de R$ 20 milhões, empresa de SP compra startup para agilizar comércio no exterior
seloNegócios

Em negócio de R$ 20 milhões, empresa de SP compra startup para agilizar comércio no exterior

Há 10 horas

29% das empresas brasileiras fecham nos primeiros 5 anos; veja como a IA pode mudar essa realidade
seloNegócios

29% das empresas brasileiras fecham nos primeiros 5 anos; veja como a IA pode mudar essa realidade

Há 12 horas

Em expansão no Brasil, Globant é classificada como marca de TI com crescimento mais rápido do mundo
seloNegócios

Em expansão no Brasil, Globant é classificada como marca de TI com crescimento mais rápido do mundo

Há 12 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais