Goldman Sachs proíbe grosserias em e-mails de funcionários

Audiência no Congresso americano mostrou e-mails de funcionários na investigação sobre atuação do banco na crise
E-mails de funcionários do Goldman Sachs foram apresentados durante audiência no Congresso (AFP)
E-mails de funcionários do Goldman Sachs foram apresentados durante audiência no Congresso (AFP)
D
Da RedaçãoPublicado em 29/07/2010 às 16:49.

Nova York - Os empregados do Goldman Sachs terão que estar mais atentos à linguagem usada em seus correios eletrônicos, depois que vários e-mails cheios de grosserias serviram de prova contra o banco durante uma audiência no Parlamento, anunciou nesta quinta-feira um porta-voz do grupo.

"Não se trata de uma nova política", afirmou à AFP Michael Duvally. "Simplesmente, estamos melhorando nossos sistemas de vigilância".

No mês de abril passado, durante uma audiência ligada à denúncia da autoridade de controle dos mercados americanos (SEC) contra o Goldman Sachs, os parlamentares tornaram públicos vários e-mails de empregados do banco que definiam um produto financeiro da empresa como uma "proposta de m..." para os investidores.

Veja Também

Vitor Knijnik: a Era do Siliconwood
Um conteúdo Bússola
Há 18 horas • 3 min de leitura

Vitor Knijnik: a Era do Siliconwood