Acompanhe:
seloNegócios

Glencore aposta alto em metais para baterias de carro

A produção da companhia de cobalto e cobre dobrou solidamente nos cinco anos até 2016, enquanto sua produção de níquel aumentou 4 vezes

Modo escuro

Continua após a publicidade
Glencore: os metais de veículos elétricos correspondem a 50% do principal lucro da Glencore (Arnd Wiegmann/Reuters)

Glencore: os metais de veículos elétricos correspondem a 50% do principal lucro da Glencore (Arnd Wiegmann/Reuters)

R
Reuters

Publicado em 5 de dezembro de 2017 às, 18h36.

Londres - A Glencore aumentou sua produção dos metais usados para produzir baterias de carros elétricos em um ritmo superior ao de seus principais rivais da mineração, segundo uma análise completa da indústria que demonstra a escala da estratégia que tem grandes riscos prospectivos e recompensas.

A produção da companhia anglo-suíça de cobalto e cobre dobrou solidamente nos cinco anos até 2016, enquanto sua produção de níquel aumentou quatro vezes, mostrou a pesquisa compilada para a Reuters pela S&P Global Market Intelligence.

Os metais de veículos elétricos correspondem a 50 por cento do principal lucro da Glencore, mais do que o dobro da proporção de seus principais concorrentes listados --BHP, , Rio Tinto, , e Anglo American

A análise, baseada nos relatórios das companhias, apoia a afirmação da Glencore de que está bem posicionada para capitalizar em uma alta antecipada na demanda por carros elétricos na próxima década.

No entanto, o esforço também carrega possíveis riscos; a maior parte da produção foi acrescentada por meio de aquisições e a Glencore ganhou mais dívidas do que seus concorrentes, segundo a S&P Global Market Intelligence.

A empresa tinha 28,4 bilhões de dólares em dívida líquida, comparado com os 16,3 bilhões de dólares da BHP, 8,1 bilhões de dólares da Rio Tinto e os 5,5 bilhões de dólares da Anglo American, mostrou o estudo compilado em novembro.

Últimas Notícias

Ver mais
"Novo chamado": com R$ 1 bi em receita, francesa compra negócio no Brasil para ser a TI das empresas
seloNegócios

"Novo chamado": com R$ 1 bi em receita, francesa compra negócio no Brasil para ser a TI das empresas

Há 5 horas

Jensen Huang, fundador da Nvidia, fica R$ 41,5 bilhões mais rico em menos de 24 horas
seloNegócios

Jensen Huang, fundador da Nvidia, fica R$ 41,5 bilhões mais rico em menos de 24 horas

Há 7 horas

Chega de teoria: veja, na prática, como criar um negócio do zero utilizando ferramentas de IA
seloNegócios

Chega de teoria: veja, na prática, como criar um negócio do zero utilizando ferramentas de IA

Há 11 horas

Goldman Sachs lidera aporte de US$ 55 mi em Simetrik, startup que tem Brasil como pilar de expansão
seloNegócios

Lego do acerto de contas, Simetrik capta US$ 55 mi para avançar no Brasil

Há 13 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais