Negócios

Gerdau comenta os resultados do 1º trimestre de 2010

Em teleconferência, siderúrgica fala sobre a recuperação dos mercados que resultou num crescimento de 1.500% no lucro

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de outubro de 2010 às 03h39.

São Paulo - Depois de um magro primeiro trimestre em 2009, com lucro de apenas 35 milhões de reais, a Gerdau abre o ano com um crescimento de mais de 1.500%. A recuperação dos mercados frente à crise econômica resultou num lucro de 573 milhões de reais no primeiro trimestre de 2010.

O cenário mundial favoreceu o crescimento de todas as operações da empresa. Segundo a Gerdau, as vendas físicas saltaram 32% em relação ao mesmo período de 2009, num total de 4,1 milhões de toneladas comercializadas, puxadas pelos mercados brasileiro e americano.

No Brasil, as vendas de aços longos para o mercado interno apresentaram 60% de expansão, impulsionadas pela maior demanda da construção civil e da indústria. Além disso, o crescimento da indústria automotiva brasileira e a recuperação das vendas de veículos nos Estados Unidos contribuíram para o aumento de 59% nos volumes comercializados no trimestre.

O que também favoreceu o bom desempenho da siderúrgica foi a redução de 8% no custo de vendas - que envolve os custos para a produção do aço comercializado. O crescimento da receita aliado à diminuição dos custos resultou numa melhora de 9% da margem bruta. A dívida líquida também teve queda. Passou de 16,3 bilhões de reais em março de 2009 para 10,1 bilhões de reais.

Acompanhe ao vivo a teleconferência com André Gerdau Johannpeter, diretor-presidente e CEO, e Osvaldo B. Schirmer, vice-presidente e diretor de RI, que detalham os resultados da empresa.

 

http://www.coveritlive.com/index2.php/option=com_altcaster/task=viewaltcast/altcast_code=783a1eaad6/height=600/width=410

Acompanhe tudo sobre:EmpresasEmpresas brasileirasGerdauIndústriaLucroSiderurgiaSiderurgia e metalurgiaSiderúrgicas

Mais de Negócios

A malharia gaúcha que está produzindo 1.000 cobertores por semana — todos para doar

Com novas taxas nos EUA e na mira da União Europeia, montadoras chinesas apostam no Brasil

De funcionária fabril, ela construiu um império de US$ 7,1 bilhões com telas de celular para a Apple

Os motivos que levaram a Polishop a pedir recuperação judicial com dívidas de R$ 352 milhões

Mais na Exame