FreteBras investe R$ 30 milhões em segurança para contratar caminhoneiros

O investimento no programa Frete Seguro inclui medidas como melhorar a tecnologia da plataforma, colaborar para a prevenção a fraudes e ampliar a ouvidoria

A FreteBras, maior plataforma online de transportes da América do Sul, vai investir R$ 30 milhões no programa Frete Seguro, que deve proteger empresas e caminhoneiros ao longo de 2021.

Comece a poupar: alcance sua liberdade financeira

“O volume de cargas roubadas no Brasil vem decrescendo, desde 2017, acima de dois dígitos percentuais ao ano. Porém, o valor ainda supera a marca de R$ 1,5 bilhão anuais. Nossa preocupação é criar mecanismos de proteção e inspirar outras organizações a agir com propostas concretas a favor da segurança dos caminhoneiros e das transportadoras”, explica Bruno Hacad, Diretor de Operações da FreteBras.

Com o objetivo de reduzir esse índice, a empresa criou uma nova modalidade de frete para assinantes da plataforma, o Frete Privado. Com ele, apenas motoristas cadastrados poderão ter acesso às demandas publicadas por empresas -- e passar por um processo cuidadoso de seleção, confirmando informações e garantindo a segurança para empresas contratantes.

Para completar esse serviço, a empresa também traz ao mercado um serviço de avaliação dos usuários (similar ao que é encontrado hoje em aplicativos de transporte, por exemplo). Ao final de cada frete, empresas e caminhoneiros devem se avaliar mutuamente, o que deve trazer um histórico preciso de ambos dentro da plataforma.

Por fim, em segurança, a companhia também vai ampliar o time de ouvidoria. A primeira contratação anunciada é a de Michael Bogajo, executivo com passagens pelas áreas de gestão de risco e prevenção à fraude de empresas como Magazine Luiza e Mercado Livre.

"Estou extremamente motivado em apoiar a FreteBras a tornar o transporte rodoviário no Brasil cada vez mais seguro. Acredito que a empresa ocupa uma posição estratégica para dar o exemplo a ser seguido por outras organizações", finaliza Bogajo.

As medidas fazem sentido, especialmente considerando o cenário de alta que o setor enfrenta. De acordo com estudo elaborado pela própria companhia, a demanda por frete aumentou 62% no último ano, impulsionada pela pandemia. Mais de 200 mil caminhoneiros se cadastraram na plataforma e o volume de empresas procurando por este serviço aumentou 30%. O transporte de grãos, a construção civil e o segmento de produtos industrializados foram principais responsáveis pela alta.

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

 

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.