Ford muda comando na América do Sul; britânico cuidará de reestruturação

Atual presidente da Ford na América do Sul, Lyle Watters vai passar o cargo a Daniel Justo, hoje diretor financeiro da empresa na região
Ford: na função de "chefe de transformação da América do Sul e da Índia", Armstrong também vai participar da avaliação de novos investimentos da Ford na Índia (Reuters/Carla Carniel)
Ford: na função de "chefe de transformação da América do Sul e da Índia", Armstrong também vai participar da avaliação de novos investimentos da Ford na Índia (Reuters/Carla Carniel)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 28/04/2021 14:11 | Última atualização em 28/04/2021 15:03Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Menos de quatro meses após anunciar o fechamento de suas fábricas no Brasil, a Ford anunciou nesta quarta-feira, 28, mudanças no comando da montadora na região. Atual presidente da Ford na América do Sul, Lyle Watters vai passar o cargo a Daniel Justo, hoje diretor financeiro da empresa na região, e se muda a Xangai para assumir, a partir de 1º de julho, o recém-criado cargo de gerente-geral da divisão de carros de passeio da montadora na China.

Dentro das movimentações na organização, o executivo britânico Steven Armstrong, que já comandou a Ford no Brasil e que vinha liderando, no último ano e meio, a joint venture Changan Ford na China, passa a ser, a partir do próximo sábado, o principal responsável pela reestruturação dos negócios da Ford na América do Sul, o que inclui o fim da produção no Brasil.

Na função de "chefe de transformação da América do Sul e da Índia", Armstrong também vai participar da avaliação de novos investimentos da Ford na Índia.

Tanto Daniel Justo quanto Anurag Mehrotra, diretor administrativo da Ford na Índia, vão se reportar a Armstrong, que, por sua vez, vai prestar contas à divisão de mercados internacionais do grupo automotivo, capitaneada desde fevereiro por Dianne Craig.

Quais são as tendências entre as maiores empresas do Brasil e do mundo? Assine a EXAME e saiba mais.