Fogo de Chão voltará a investir no Brasil, após sucesso nos EUA

Rede de churrascarias tem a maioria de seus restaurantes no mercado americano, mas reformará restaurantes brasileiros e abrirá mais unidades por aqui
 (André Moratti/Fogo de Chão/Divulgação)
(André Moratti/Fogo de Chão/Divulgação)
Por Mariana FonsecaPublicado em 17/10/2019 06:00 | Última atualização em 17/10/2019 11:09Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Apesar de especializada em técnicas sulistas de preparo de churrasco, a Fogo de Chão vê no mercado americano seu maior sucesso. São mais de 40 unidades americanas, ante oito brasileiras. Mas a situação pode começar a se inverter: a rede voltará a expandir no mercado brasileiro. “Após 40 anos de história, temos uma marca relevante e sustentável espalhada pelo mundo. Continuamos a crescer em diversos países e estamos felizes em retornar ao Brasil”, afirmou Barry McGowan, diretor executivo da Fogo de Chão, a EXAME.

Uma unidade localizada no bairro paulistano dos Jardins foi recentemente reformada e reinaugurada. A sala de espera deu lugar a um bar, com preços especiais e bebidas para o momento de happy hour. Entre o bar e as mesas há um dry age cabinet, refrigerador para cortes nobres expostos aos clientes. O cardápio conta mesa de saladas e frutos do mar, para agradar os não aficionados por carne vermelha.

O novo modelo de restaurante será replicado nas outras unidades da Fogo de Chão, com um investimento inicial de três a cinco milhões de reais. Os recursos virão do próprio caixa da empresa. Por aqui, são cinco restaurantes em São Paulo e outros três no Rio de Janeiro a serem renovados até o final de 2020.

A saída da Fogo de Chão dos mercados públicos, em fevereiro de 2018, possibilitou a volta ao Brasil. “Devíamos explicações constantes de crescimento aos nossos investidores, que questionavam apostar em um país de turbulências econômicas e políticas”, diz McGowan. “Mas entendo que o mercado brasileiro é importante e estamos com nossa estratégia alinhada.”

A rede de churrascarias planeja abrir dois restaurantes por ano nacionalmente a partir de 2021. A região Sul é o principal alvo da expansão brasileiro, junto da chegada aos vizinhos Argentina, Chile e Colômbia. O Panamá também está na lista de próximas aberturas.

Barry McGowan, diretor da Fogo de Chão

Barry McGowan, diretor executivo da Fogo de Chão (Fogo de Chão/Divulgação)

Fogo de Chão, criação e números

A Fogo de Chão foi criada em 1979, com um restaurante em Porto Alegre (Rio Grande do Sul). A rede chegou aos Estados Unidos 18 anos depois, em 1997, com um restaurante em Dallas (Texas). 

A ideia dos gaúchos encontrou uma similaridade cultural no estado do Texas, segundo McGowan. Com a marca reconhecida no estado, a Fogo de Chão conseguiu expandir para estados culturalmente mais distantes do campo e do churrasco, como Califórnia, Illinois, Kansas e Nova York. A marca tem 53 restaurantes hoje em países como Brasil, Estados Unidos e México e na região do Oriente Médio. 

Em 2017, a Fogo de Chão faturou mais de 300 milhões de dólares. A margem de lucro de cada restaurante ronda os 30%. A rede foi vendida por 560 milhões de dólares para o fundo de private equity Rhone Capital em fevereiro de 2018 e não divulga números de faturamento atualizados.