Negócios

Ex-trader do Société Générale é preso por fraude

Jerome Kerviel estava em custódia em uma delegacia local antes de começar o prazo para cumprir a sentença


	Jerôme Kerviel e seu advogado David Koubbi: Kerviel custou ao Société Générale 4,9 bilhões de euros em perdas em 2008
 (Mehdi Fedouach/AFP)

Jerôme Kerviel e seu advogado David Koubbi: Kerviel custou ao Société Générale 4,9 bilhões de euros em perdas em 2008 (Mehdi Fedouach/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 19 de maio de 2014 às 08h37.

Paris - Jerome Kerviel, condenado por uma das maiores fraudes recentes no mercado financeiro, retornou à França no último domingo para começar a cumprir a pena na prisão.

Imagens da televisão local mostraram o ex-trader do Société Générale cruzando a fronteira da França com a Itália a pé.

Um policial na cidade fronteiriça de Menton, no lado francês, disse que Kerviel estava em custódia em uma delegacia local antes de começar o prazo para cumprir a sentença. Não está imediatamente claro para onde ele será levado.

Kerviel custou ao Société Générale 4,9 bilhões de euros em perdas em 2008. Ele argumentou que a instituição via com bons olhos suas operações não autorizadas enquanto elas resultavam em ganhos, mas disse que logo que os investimentos começaram a falhar o banco se voltou contra ele.

Ele foi condenado a três anos de prisão em 2010, e o processo de apelação chegou até a mais alta instância francesa, que neste ano manteve o pedido de prisão.

Neste período, o trader ganhou apoiadores ao redor da França e começou uma cruzada contra a corrupção no mundo financeiro. "A luta continuará apesar do que acontecer", disse a jornalistas, enquanto cruzava a fronteira ontem à noite.

Antes de começar a cumprir a sentença, Kerviel viajou à Itália para se encontrar com o papa e no sábado apelou ao presidente François Hollande para intervir a seu favor.

O escritório de Hollande disse que consideraria um pedido específico de perdão conforme o procedimento usual. Já o ministro de Finanças, Michel Sapin, descreveu no domingo o ex-trader como um criminoso.

Um relatório interno do Société Générale descobriu que os gerentes falharam em monitorar 74 alarmes diferentes sobre as atividades de Kerviel. Alguns executivos se demitiram, mas nenhum enfrentou acusações criminais. Fonte: Associated Press.

Acompanhe tudo sobre:Empresas francesasFraudesPrisõesSociété Générale

Mais de Negócios

Com doações da Gerdau e da Vale, novo fundo mira R$ 100 milhões para ajudar a reconstruir o RS

“Sem dados não é possível fazer a comparação da energia que merecemos”, diz especialista da Globant

O plano de R$ 250 milhões da dona dos sorvetes Nestlé para ganhar a liderança do mercado no Brasil

5 tipos de embalagens de alimentos para priorizar nas compras do supermercado

Mais na Exame