Negócios

Engie não pretende desistir da TAG e espera "bom senso" do STF

Operação, que envolve 8,6 bilhões de dólares, depende agora de um julgamento iniciado pelo STF na semana passada

Engie: elétrica francesa disse que não vai desistir da aquisição junto à Petrobras da TAG (Charles Platiau/Reuters)

Engie: elétrica francesa disse que não vai desistir da aquisição junto à Petrobras da TAG (Charles Platiau/Reuters)

R

Reuters

Publicado em 6 de junho de 2019 às 12h08.

Rio de Janeiro — A Engie não vai desistir da aquisição junto à Petrobras da empresa de gasodutos TAG, disse nesta quinta-feira o presidente da elétrica francesa no Brasil, Maurício Bähr, que afirmou ainda esperar "bom senso" do Supremo Tribunal Federal (STF), que suspendeu o negócio com uma decisão liminar em maio.

A operação, que envolve 8,6 bilhões de dólares, depende agora de um julgamento iniciado pelo STF na semana passada, sobre a necessidade de aval legislativo e licitação para a privatização de ativos por empresas estatais ou sociedades de economia mista.

"A gente pode ser impedido de comprar se o Supremo decidir, mas não é uma decisão nossa. A nossa decisão é de comprar", afirmou Bahr, durante evento da companhia no Rio de Janeiro.

"O cheque está pronto para ser liquidado no momento em que tiver uma decisão", disse o executivo a jornalistas.

O STF deve retomar nesta quinta-feira julgamento sobre os requisitos para privatizações. A análise do caso foi suspensa na véspera, com um placar provisório de 2 a 2.

Acompanhe tudo sobre:EngieFusões e AquisiçõesPetrobrasSupremo Tribunal Federal (STF)TAG

Mais de Negócios

Governo dos EUA entra com processo para obrigar Live Nation a vender Ticketmaster

“Vamos investir 800 milhões de dólares para transição de veículos elétricos”, diz CEO global do Uber

Universidade aposta em software com IA para aumentar a segurança no campus

Sebrae promove evento gratuito sobre sustentabilidade para pequenos negócios. Inscreva-se

Mais na Exame