Negócios

Enel diz que não tem plano para fechar capital da Eletropaulo

Segundo presidente da companhia no Brasil, a decisão deverá ser analisada apenas após 4 de julho, prazo final para que os atuais acionistas vendam as ações

Eletropaulo: analistas de mercado sugeriram que os R$ 45,22 por ação pagos pela Enel para adquirir a companhia chegaria a ser duas vezes o valor justo da empresa atualmente (Germano Lüders/EXAME/Exame)

Eletropaulo: analistas de mercado sugeriram que os R$ 45,22 por ação pagos pela Enel para adquirir a companhia chegaria a ser duas vezes o valor justo da empresa atualmente (Germano Lüders/EXAME/Exame)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 5 de junho de 2018 às 17h43.

São Paulo - Após ter conquistado 73,4% do capital da Eletropaulo, em oferta pública de ações, a Enel Brasil ainda não decidiu se fechará o capital da distribuidora, disse nesta terça-feira, 5, o presidente da Enel Brasil, Carlo Zorzoli.

Segundo ele, a decisão deverá ser analisada apenas após 4 de julho, prazo final para que os atuais acionistas vendam as ações, nas mesmas condições da Oferta Pública de Ações realizada na segunda-feira. "É cedo", comentou, ao ser questionado por jornalistas sobre o assunto.

Zorzoli também reforçou a mensagem de que a Enel considera que ofertou um "preço justo" pela Eletropaulo, o que soou como uma resposta a críticas de analistas de mercado que consideraram o preço muito elevado.

Segundo ele, a compra da distribuidora paulista trará valor para os acionistas da Enel Americas (companhia aberta na bolsa de Nova York e controladora da Enel Brasil) e também para clientes da Eletropaulo.

Analistas de mercado sugeriram que os R$ 45,22 por ação pagos pela Enel para adquirir a Eletropaulo chegaria a ser duas vezes o valor justo da companhia atualmente, ou ainda mais do que a companhia poderia valer mesmo diante da esperada recuperação de seu desempenho operacional.

Mas segundo Zorzoli, a nova administração da distribuidora, sob o comando da Enel, levará a múltiplos adequados "em prazos curtos".

Acompanhe tudo sobre:EletropauloEmpresasEnelEnergia

Mais de Negócios

A nova aposta da WeWork: andares exclusivos para empresas

Previsão é que produção de calçados esteja normalizada no RS até fim de junho

Novo CEO do iFood: o crescimento não virá de novos negócios, mas do aumento da frequência

Para além do marombeiro: rede de academias do Nordeste faz R$ 300 milhões "brigando contra o sofá"

Mais na Exame