Negócios

Empresários priorizam planos a curto prazo, diz pesquisa

Levantamento indica que o grande otimismo está diminuindo os cuidados com o futuro

Empresários estão mais preocupados com o lucro e o crescimento da empresa (.)

Empresários estão mais preocupados com o lucro e o crescimento da empresa (.)

DR

Da Redação

Publicado em 22 de abril de 2010 às 14h42.

São Paulo - A confiança no mercado e no crescimento da economia brasileira tem feito os empresários deixarem de lado os cuidados excessivos e investirem nos planos de curto prazo. É o que aponta uma pesquisa sobre as perspectivas e desafios do empresariado em relação ao período de 2010 a 2015.

O estudo foi feito em novembro passado pela Empreenda Consultoria, em parceria com a HSM, e agora os resultados estão disponíveis gratuitamente em formato de e-book. No total, foram consideradas 1.065 respostas, enviadas por presidentes de grandes empresas de todo o País.

O autor da pesquisa e presidente da Empreenda, César Souza, considera que há um otimismo sem precedentes no cenário empresarial brasileiro. O levantamento aponta que 80% dos respondentes acreditam que o Brasil vai crescer de 3% a 5% ao ano até 2015. Além disso, 46% deles consideram que suas empresas vão crescer mais de 10% só neste ano.

Para César Souza esse otimismo que transparece nos resultados pode ser prejudicial para os negócios. "Os empresários não estão fazendo planos a longo prazo. Está uma loucura, eles estão só pensando em crescer. A maioria deles não está preocupada com a inadimplência, nem com internacionalização, não pensa em fazer parceiros internacionais. Eu acho que um empreendedor deve ter um olho no presente e outro no futuro", argumenta.

Em relação aos desafios das empresas, questões como carência de capital ou tecnologia, falta de mercado ou problemas na política governamental perderam a prioridade. O principal obstáculo destacado pelos empresários foi a carência de líderes no mercado. Para 63% deles não há profissionais com este perfil em quantidade suficiente.

"Há muitos gestores eficientes, que se preocupam com metas e buscam resultados, mas há poucos líderes que têm ousadia, que se portam como donos da empresa, pensam no futuro e abrem novas oportunidades", esclarece Souza. Para suprir essa necessidade, os respondentes prometem dar prioridade à gestão de pessoas, fazendo treinamentos e capacitação de empregados, nos próximos cinco anos.
 

O Brasil 2010-2015 http://d1.scribdassets.com/ScribdViewer.swf?document_id=30349999&access_key=key-naj2hbrikbjyudg10b7&page=1&viewMode=list

Acompanhe tudo sobre:Estratégiagestao-de-negociosLucroPlanejamentoResultado

Mais de Negócios

11 franquias baratas para trabalhar sem funcionários a partir de R$ 2.850

Inteligência Artificial no Brasil: inovação, potencial e aplicações reais das novas tecnologias

Mundo sem cookies: as big techs estão se adequando a uma publicidade online com mais privacidade

Ligadona em você: veja o que aconteceu com a Arapuã, tradicional loja dos anos 1990

Mais na Exame