Acompanhe:
seloNegócios

Em 58 dias, investidores aportam 1,5 milhão em negócios de impacto

Em até 24 meses, os investidores receberão de volta todo o capital que emprestaram, acrescido dos juros, e beneficiarão negócios sustentáveis

Modo escuro

Continua após a publicidade
Coopersertão é um dos empreendimentos impactados pelo investimento (Sitawi/Divulgação)

Coopersertão é um dos empreendimentos impactados pelo investimento (Sitawi/Divulgação)

M
Marina Filippe

Publicado em 18 de dezembro de 2019 às, 15h26.

Última atualização em 19 de dezembro de 2019 às, 19h23.

São Paulo -- A Sitawi Finanças do Bem, organização sem fins lucrativos de soluções financeiras para impacto social, captou 1,5 milhão de reais em menos de dois meses do lançamento da primeira rodada de captação de recursos da plataforma de empréstimo coletivo, em parceria com o Instituto Sabin.

Para os 159 investidores o retorno é de 1% ao mês. Cerca de 67% dos investidores desembolsaram até 5 mil reais e o maior investimento foi de 100 mil reais. Dentro de até 24 meses, eles receberão de volta todo o capital que emprestaram, acrescido dos juros.

"A SITAWI sempre forneceu muitas informações. Tive acesso a históricos dos projetos, análises de risco, planejamento para uso do investimento, além de um detalhamento de como as iniciativas estão alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU”, diz o investidor Heiko Hosomi Spitzeck, professor da Fundação Dom Cabral.

Entre o perfil dos participantes da primeira rodada, 62% são homens, 13% tem entre 20 e 30 anos, 38% tem entre 30 e 40 anos, 28% tem entre 40 e 50 anos e 21% tem mais de 50 anos.

As instituições beneficiadas foram a Coopsertão (BA), uma cooperativa que fortalece a agricultura local com a produção de polpas de frutas; a Orgânicos In Box (RJ), um e-commerce de produtos orgânicos; a Inteceleri (PA), edtech especializada no ensino de matemática utilizando realidade virtual; Stattus4 (SP), que desenvolve sensores para detectar vazamentos de água e gás; e a UpSaúde (RN), um aplicativo de inteligência de dados que busca melhorar a comunicação na saúde pública. A plataforma atingiu as metas de captação em 58 dias, tempo menor que o prazo previsto.

Os projetos foram selecionados por meio de inscrição da plataforma da Sitawi ou parceria com outros atores da cadeia. E os aportes puderam ser feitos com 1 mil reais ou mais. 

A segunda rodada da Plataforma de Empréstimo Coletivo da SITAWI será lançada no primeiro semestre de 2020 e focará em projetos voltados à conservação da Amazônia. Entre os apoiadores e coinvestidores estarão a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), o Centro Internacional de Agricultura Tropical (CIAT) e o Instituto Humanize.

“A SITAWI possui experiência com iniciativas amazônicas, como o investimento no Programa de Aceleração da Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), do qual também realizamos a análise técnica dos projetos participantes em 2018 e 2019”, conta Leonardo Letelier, fundador da SITAWI Finanças do Bem.

 

Últimas Notícias

Ver mais
40 franquias para empreender e faturar mais de R$1 milhão em 2024
seloNegócios

40 franquias para empreender e faturar mais de R$1 milhão em 2024

Há 11 horas

Internet ruim e apagão: os desafios da startup amapaense Tributei para criar um negócio de milhões
seloNegócios

Internet ruim e apagão: os desafios da startup amapaense Tributei para criar um negócio de milhões

Há 13 horas

Quem é o mineiro que investiu R$ 38 milhões em um parque de realidade virtual no interior de SP 
seloNegócios

Quem é o mineiro que investiu R$ 38 milhões em um parque de realidade virtual no interior de SP 

Há um dia

Mistura do Brasil com Taiwan: como eles transformaram uma bebida asiática em um negócio de R$ 30 mi
seloNegócios

Mistura do Brasil com Taiwan: como eles transformaram uma bebida asiática em um negócio de R$ 30 mi

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais