Negócios

Eletrobras vai investir mais de R$ 45 bi até 2014

Entre os projetos, estão as usinas de Belo Monte, Santo Antônio e Jirau

Usina Santo Antônio: além das obras já contratadas, Eletrobras espera novos leilões (Germano Lüders/Exame)

Usina Santo Antônio: além das obras já contratadas, Eletrobras espera novos leilões (Germano Lüders/Exame)

DR

Da Redação

Publicado em 9 de novembro de 2010 às 14h57.

Rio de Janeiro - A Eletrobras pretende investir mais de 45 bilhões de reais até 2014, afirmou o presidente da estatal, José Antônimo Muniz Lopes, nesta terça-feira.

Segundo ele, o programa de investimentos está em fase final de análise e será divulgado até o final de 2010. "Até o fim do ano vamos apresentar o plano de investimento de geração, transmissão e distribuição para o período 2010 a 2014", disse Lopes a jornalistas , após participar do 13o Congresso Brasileiro de Energia.

"Serão investimentos superiores a 45 bilhões (de reais)...temos grandes projetos como as usinas de Belo Monte, Santo Antônio, Jirau. São obras já contratadas e ainda teremos leilões pela frente", adicionou o executivo.

Apesar da perspectiva de altos investimentos até 2014, Muniz adiantou que a meta para esse ano não será atingida. Inicialmente, a estatal planejava investir 8 bilhões, mas até agosto desembolsou cerca de 2,8 bilhões de reais. O executivo espera que os investimentos encerrem o ano em 6 bilhões de reais.

"Infelizmente vamos investir menos do que queríamos ou que estamos autorizados de setembro a dezembro", disse Muniz, citando como problemas as liberações ambientais para as linhas de transmissão Tucuruí-Manaus, Porto Velho-Araraquara e a usina de Belo Monte.

"Os projetos volumosos tiveram seu início postergado e tivemos frustrações."

No ano passado, a empresa realizou 75 por cento dos investimentos projetados, enquanto a meta era de 74 por cento, revelou o presidente, sem divulgar as cifras da companhia.

Gás

O presidente da Eletrobras afirmou que a estatal firmou um memorando de entendimentos com a empresa de petróleo Petra, que possuiu campos de gás no litoral brasileiro. Segundo Lopes, o acordo ainda está em fase preliminar e tem como objetivo colher informações que possam ser necessárias para futuros investimentos em energia elétrica por parte da estatal.

"Nosso objetivo é obter conhecimento... por enquanto não temos objetivo de ser sócios. Se as áreas de investimento e técnica da Eletrobras entenderem que seria algo interessante, será decidido na frente", disse. Segundo Lopes, o assunto está em análise técnica.

"Esse pessoal trouxe essa proposta há dois anos e só agora o comitê de investimentos trouxe a discussão. Não temos interesse em ser investidores em petróleo e gás. Temos interesse em biomassa, eólica e hidroelétrica, além de nuclear e carvão na região", destacou.

Acompanhe tudo sobre:EletrobrasEmpresasEmpresas estataisEnergia elétricaEstatais brasileirasHoldingsInvestimentos de empresasServiçosUsinas

Mais de Negócios

Gestor consegue identificar comportamentos arriscados e evitar acidentes, diz VP da Geotab

O Brasil pode exportar peças para veículos? Essa é a aposta da Bosch após vender R$ 9,8 bilhões aqui

Startup do Amapá capta R$ 3 milhões e já tem R$ 30 milhões para emprestar na Amazônia

Você já ouviu falar na sigla DYOR? Veja por que ela é importante no universo das finanças

Mais na Exame