Acompanhe:
seloNegócios

O empreendedor Alderlan Sampaio começou vender hortaliças muito cedo, um ofício que a família compartilhava há anos. Com 9 anos de idade, já andava pelas ruas cearenses anunciando alface, coentro, salsa, entre outras opções. Hoje, ele é o dono da empresa Campo Ouro Verde, especialista na comercialização de hortaliças em Fortaleza, região metropolitana da capital cearense e algumas cidades do Piauí.

No ano passado, a empresa faturou R$ 18 milhões. O negócio foi aberto em 2014 quando ele decidiu deixar de ser um funcionário do irmão, com negócio no mesmo ramo, e empreender por conta própria. Pegou uma bicicleta, comprou as hortaliças de produtores da região e no primeiro dia fez apenas R$ 17,00. Continuou.

Da bicicleta, mudou para uma moto, depois um carro e hoje tem uma frota com mais de 20 veículos. Em março passado, as vendas superaram o valor de R$ 1,7 milhão. Neste ano, a expectativa é de que o resultado avance mais de 40% e a Ouro Verde encerre os dozes meses com 26 milhões de reais.

Como funciona o negócio

A Campo Ouro Verde atua no meio da cadeia do mercado de hortaliças. Ela fecha acordo com os produtores rurais para a aquisição das verduras e legumes, faz o processo de higienização, embala e distribui, principalmente, para supermercados e restaurantes. Atualmente, são mais de 170 estabelecimentos.

Desde 2020, o negócio cresceu em ritmo acelerado. Ano a ano, tem registrado alta de 50%. Para expandir a operação em um setor altamente commoditizado, Sampaio procurou criar pontos de diferenciação em relação aos concorrentes.

  • Adotou a estratégia de trabalhar com produtores exclusivos e pagar um valor maior que o mercado para garantir que eles possam investir em melhores sementes e melhor manejo da terra
  • Desenvolveu um modelo logístico para garantir uma entrega rápida dos produtos. Como os produtos são altamente perecíveis, agilidade se torna um elemento crítico
  • Investimentos em ações de comunicação e marketing para agregar valor aos produtos. A empresa faz iniciativas com promotores de venda nas lojas, nutricionistas e até degustações de suco verde e detox para mostrar a diversidade de uso das hortaliças.

No portfolio, coloca à venda mais de 26 hortaliças, todas in natura. Entre elas, agrião comum, alecrim, alface americano, alho poró, boldo, cebolinha, cidreira, coentro, cebola, alho e quiabo.  “A gente não vende nenhum processado, não é hábito no ceará ter processados”, afirma Sampaio.

Como a empresa quer seguir crescendo

O próximo passo na estratégia é adicionar mais verduras e legumes à cartela de ofertas e ir além dos produtos in natura. Nos próximos meses, começa a oferecer opções já embaladas, como pimenta de cheiro, quiabo e brócolis.

O teste será acompanhado por uma nova tecnologia a empresa desenvolveu em casa para ampliar a duração dos produtos nas prateleiras e geladeiras. Batizado de “Extendlife”, a substância natural funciona como uma película de proteção aos vegetais e para frutas.

Com a ação, ela reduz bolores, leveduras e bactérias láticas e contribui para prolongar o tempo de vida das hortaliças. A empresa patenteou a substância e agora espera a liberação da Anvisa para uso e comercialização.

Caso dê certo, será importante para os planos que a empresa tem de entrar na venda de frutas. Como o setor tem custos mais elevados e diferença no modelo de precificação, iniciar a operação oferecendo as frutas mais resistentes pode ser um diferencial e tanto.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
"Novo chamado": com R$ 1 bi em receita, francesa compra negócio no Brasil para ser a TI das empresas
seloNegócios

"Novo chamado": com R$ 1 bi em receita, francesa compra negócio no Brasil para ser a TI das empresas

Há 13 horas

Jensen Huang, fundador da Nvidia, fica R$ 41,5 bilhões mais rico em menos de 24 horas
seloNegócios

Jensen Huang, fundador da Nvidia, fica R$ 41,5 bilhões mais rico em menos de 24 horas

Há 15 horas

Chega de teoria: veja, na prática, como criar um negócio do zero utilizando ferramentas de IA
seloNegócios

Chega de teoria: veja, na prática, como criar um negócio do zero utilizando ferramentas de IA

Há 19 horas

Goldman Sachs lidera aporte de US$ 55 mi em Simetrik, startup que tem Brasil como pilar de expansão
seloNegócios

Lego do acerto de contas, Simetrik capta US$ 55 mi para avançar no Brasil

Há 21 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais