Negócios

Ela fez um curso de autoconhecimento e pediu demissão. Hoje, fatura R$ 19 milhões com açaí e gelato

A empreendedora Valéria Barros é a fundadora da Gelateria Trevo e da Trevo Açaí, franquias com 22 unidades; conheça a história

Valéria Barros: sócia fundadora da Gelateria Trevo e Trevo Açaí (Divulgação/Divulgação)

Valéria Barros: sócia fundadora da Gelateria Trevo e Trevo Açaí (Divulgação/Divulgação)

Isabela Rovaroto
Isabela Rovaroto

Repórter de Negócios

Publicado em 10 de julho de 2023 às 05h59.

Última atualização em 10 de julho de 2023 às 16h53.

As histórias de superação fazem parte do imaginário popular quando assunto é empreendedorismo de sucesso. É comum conhecer empresários bem-sucedidos que tiveram uma jornada marcada por desafios pessoais antes do sucesso à frente do próprio negócio.

A empreendedora Valéria Barros é um desses casos. A fundadora das franquias Gelateria Trevo e a Trevo Açaí é um exemplo de superação e empreendedorismo, principalmente para as mulheres.

Ela criou a sua primeira rede de franquia em 2014, e o sucesso a motivou a abrir a segunda pouco tempo depois. Em 2022, as duas marcas faturaram R$ 19 milhões.

Quem é a empreendedora

A empreendedora Valéria Barros, de 42 anos, nasceu em Pirapora, em Minas Gerais. Aos dois anos, ela se mudou com a família para Tabuleiro do Norte, no Ceará, onde enfrentou a fome e viveu um dos momentos mais difíceis da vida.

“Na minha infância, muitas vezes eu tinha de ir para a casa dos vizinhos para ter o que comer”, diz Barros.

Na adolescência, Barros e a família se mudaram para Fortaleza, cidade na qual a empreendedora vive até hoje.

Ela começou sua carreira profissional como recepcionista em uma loja de produtos automotivos. Para ganhar mais, Barros começou a ajudar nas vendas da empresa, mas os vendedores não gostavam da atitude da colega. Após algumas reclamações, ela foi demitida. "Eu fiquei sem chão. Toda a minha renda vinha daquele trabalho", diz.

Pouco tempo depois, ela conseguiu outro emprego, também como recepcionista, em uma loja de blindagens de carros. Assim como no emprego anterior, Barros auxiliou no processo de algumas vendas, mas desta vez com o aceno do dono – que logo percebeu o talento da nova funcionária. Em menos de um ano, ela já tinha sido promovida à vendedora e ali atuou por 10 anos.

“Foi uma fase incrível. Eu tinha minha própria admiração, do meu chefe e de funcionários", diz a empreendedora.

Como as franquias foram criadas

A ideia de deixar o emprego CLT para criar o próprio negócio surgiu depois que seu marido, Markus Barros, a convidou para fazer um curso de autoconhecimento. Ali, ela percebeu que queria empreender e decidiu pedir demissão.

“Ninguém entendeu nada. Como uma pessoa, feliz, em um emprego estável e com um bom salário pode largar tudo do nada? Era isso que as pessoas se perguntavam”, diz Barros.

Nos últimos dias na loja de blindagem, Valéria parou em uma sorveteria e reparou que uma das coisas que mais gostava é tomar sorvete. “Uma coisa que eu sei é tomar sorvete. Além disso, Fortaleza é quente o ano todo, sempre há demanda por sorvetes”, conta a empreendedora.

Barros era uma boa vendedora, mas não tinha nenhuma experiência em gestão. Por isso, chamou seu marido para ser sócio.

A primeira loja da Gelateria Trevo foi inaugurada em 2014. Logo no primeiro dia, Valéria realizou 600 atendimentosA fila na porta veio dias depois, quando a empreendedora criou a Taça da Felicidade, uma receita com gelato, Nutella e granulados. 

O sucesso da gelateria fez o casal pensarem empreender com um sucesso nacional: açaí. No fim daquele mesmo ano, o casal fundou a Trevo Açaí, em Fortaleza. "Era um negócio perto do outro. Os clientes, que já conheciam a qualidade da Gelateria Trevo, associavam as marcas e também lotaram a loja”, diz Barros.

A empreendedora conta que as duas marcas coexistem, mas atuam separadamente. Então, veio a ideia de franquear a Gelateria Trevo e a Trevo Açaí. A primeira unidade foi inaugurada em 2016. No ano passado, as duas redes faturaram R$ 19 milhões.

Plano de expansão das franquias

Atualmente, a Gelateria Trevo e a Trevo Açaí contam com 22 unidades. No entanto, a única em processo de expansão é a Trevo Açaí, que está presente em quatro estados. "Decidimos focar nela por considerar o aumento do consumo da fruta em todo Brasil”, explica a fundadora.

Até 2025, o foco de crescimento é voltado para o Sudeste nos formatos de contêiner, contêiner mid, quiosque, loja de rua, loja de shopping e dark kitchen.

Em março, a rede inaugurou a primeira franquia na região, em Barueri. Na Grande São Paulo a meta é conquistar 10 franquias, e 150 lojas em todo estado. Até 2028 a Trevo Açaí estima 200 lojas no território nacional e um faturamento de R$ 200 milhões.

Acompanhe tudo sobre:empreendedorismo-femininoSorveteriasEmpreendedoresFree Paywall

Mais de Negócios

IBM aposta em padrões abertos para incentivar o uso em escala da IA

Como a Renova Invest se mantém entre as melhores assessorias há 5 anos

Para além da Heineken na hora do aperto: o Rappi Turbo quer virar o seu próximo mercadinho de bairro

Reconhecida pela Time como uma das melhores edtechs do mundo, a Vitru estreia na B3

Mais na Exame