Negócios

Dona da Smirnoff ajuda bares e restaurantes a reabrir depois da pandemia

Diageo, dona das marcas Ypióca e Johnnie Walker, vai destinar R$ 500 mi para ajudar empreendedores; começa hoje o cadastro para participar da iniciativa

Treinamento online para empreendedores: Brasil vai receber cerca de R$ 15 milhões da iniciativa global (Diageo/Divulgação)

Treinamento online para empreendedores: Brasil vai receber cerca de R$ 15 milhões da iniciativa global (Diageo/Divulgação)

NF

Natália Flach

Publicado em 24 de junho de 2020 às 09h27.

Última atualização em 24 de junho de 2020 às 13h49.

A Diageo, dona das marcas Ypióca, Johnnie Walker, Smirnoff e Tanqueray, lançou um fundo global de 100 milhões de dólares (cerca de 500 milhões de reais) para apoiar a reabertura de bares e restaurantes depois da pandemia do novo coronavírus. O dinheiro será usado para obtenção de materiais e equipamentos de acordo com as novas medidas sanitárias e de higiene. A iniciativa faz parte do Movimento Pró-Bar – Estamos Juntos!, um programa de dois anos que também vai oferecer treinamentos gratuitos, por meio do Diageo Bar Academy, para empreendedores de várias cidades, como São Paulo, Nova York, Londres e Edimburgo. 

A partir desta quarta-feira, 24, os estabelecimentos interessados em fazer parte da iniciativa devem se cadastrar por meio da plataforma Diageo Bar Academy (http://www.diageobaracademy.com). O investimento no Brasil será de 15 milhões de reais e será destinado a bares da cidade de São Paulo e de outras localidades.

“Queremos que esse fundo, aliado a outras iniciativas da empresa para esse momento da retomada, ajude a reerguer o setor, que sofreu um grande impacto com a crise”, afirma Gregorio Gutiérrez, presidente da Diageo para Paraguai, Uruguai e Brasil, em nota.  “Vamos avaliar e aplicar os recursos de forma disciplinada para que realmente possamos nos levantar juntos e fortalecidos dessa crise.”

Em maio, com parte dos lucros obtido no e-commerce TheBar.com, a empresa criou um fundo de 450 mil reais de apoio aos bartenders. A companhia disponibilizou cursos online remunerados de 200 reais para ajudar na formação e capacitação dos profissionais da área de bares e restaurantes, além do apoio financeiro. A ação remunerou 2.250 pessoas.

Desde 2000, o programa Learning For Life capacitou 21.000 pessoas de baixa renda no Brasil para a profissão de bartender. Já a plataforma Diageo Bar Academy treinou mais de 2.000 bares e 10.000 profissionais da área desde 2017.

Acompanhe tudo sobre:BaresCoronavírusDiageoRestaurantes

Mais de Negócios

Os engenheiros da saúde: como essa startup quer evitar perdas financeiras nos hospitais

IBM aposta em padrões abertos para incentivar o uso em escala da IA

Como a Renova Invest se mantém entre as melhores assessorias há 5 anos

Para além da Heineken na hora do aperto: o Rappi Turbo quer virar o seu próximo mercadinho de bairro

Mais na Exame