Negócios

Conheça a Enel, a gigante italiana que levou a Eletropaulo

Essa é a terceira grande aquisição da italiana no Brasil em um ano e meio.

Estação de distribuição de energia da Eletropaulo em São Paulo (Marcos Issa/Bloomberg)

Estação de distribuição de energia da Eletropaulo em São Paulo (Marcos Issa/Bloomberg)

Mariana Desidério

Mariana Desidério

Publicado em 5 de junho de 2018 às 09h55.

Última atualização em 5 de junho de 2018 às 13h30.

São Paulo – A Enel fechou ontem a compra de 73% da Eletropaulo, por um valor total de 5,55 bilhões de reais. Com isso, a companhia italiana consolida sua presença no mercado brasileiro, tornando-se a maior distribuidora de energia do país.

Essa é a terceira grande aquisição da italiana no Brasil em um ano e meio. No fim de 2016, a Enel comprou outra distribuidora, a Celg, de Goiás, por 2,2 bilhões de reais. Em 2017, a italiana venceu o leilão da usina de Volta Grande, em Minas Gerais, por R$ 1,4 bilhão.

A empresa já possui três distribuidoras no país: além de Goiás, com a Enel Goiás (antiga Celg), atua na distribuição nos estados de Rio de Janeiro, com a Enel Rio (antiga Ampla Energia), e Ceará, com a Enel Ceará (antiga Coelce).

No total, são 10 milhões de clientes atendidos. Se a compra da Eletropaulo se concretizar – ainda é preciso passar pela aprovação de órgãos como a Aneel – esse número saltará para 17 milhões.

A companhia tem ainda forte atuação na geração de energia solar e eólica, através da subsidiária Enel Green Power Brasil. A italiana opera o Parque Solar de Nova Olinda, no Piauí,  a maior planta de energia solar do país. Também possui Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH’s) em diversos estados e uma usina termoelétrica de gás e vapor no Ceará.

A empresa está presente em 35 países e atende, no total, 63,5 milhões de usuários ao redor do mundo. Na geração de energia, tem uma capacidade instalada de 85 GW.

Em 2017, o faturamento global da companhia foi de 74,6 bilhões de euros, com ebitda de 15,7 bilhões de euros. A Enel também vendeu, neste período, 11,7 bilhões de metros cúbicos de gás. Listada na bolsa de valores de Milão, a Enel tem como seu maior acionista o Ministério Italiano de Economia e Finança, que detém 23,6% da empresa.

Acompanhe tudo sobre:EletropauloEnelEnergiaFusões e Aquisições

Mais de Negócios

Ele cansou de trabalhar em telecom. Agora, faz mais de R$ 1 mi com franquia de serviços automotivos

“É função dos empresários iniciar um novo RS”, diz CEO da maior produtora de biodiesel do país

Na Prosegur, os candidatos são avaliados pela simpática Rose, a chatbot do grupo

Baré, Fruki, Coroa, Jesus: conheça os refrigerantes de guaraná que bombam pelos estados do Brasil

Mais na Exame