Como as idas ao supermercado mudaram com a pandemia do coronavírus

Os idosos têm respeitado mais as medidas de isolamento social e há uma queda de 37% no número de clientes idosos nos supermercados na quarentena

Carrinhos mais cheios, mas supermercados mais vazios. Com a pandemia do coronavírus, consumidores vão menos ao mercado, estocam mais e têm gastos maiores nesse período, de acordo com uma pesquisa realizada pela empresa de pontos de fidelidade Dotz.

Entre os dias dias 15 de março e 18 de abril, o consumidor foi menos ao mercado. Houve uma queda de 18% no número de clientes em lojas em comparação ao período antes da quarentena, de 9 de fevereiro a 14 de março.

A cada semana de isolamento, de março a abril, as idas ao mercado foram diminuindo cada vez mais. Com menos idas ao mercado, o consumidor tem gastado mais a cada compra. Houve um aumento de 35% do tíquete médio, de R$100 para R$135.

Os clientes idosos têm respeitado mais as medidas de isolamento social. A pesquisa da Dotz apontou uma queda de 37% no número de clientes idosos nos supermercados no período da quarentena.

Entre esse público. o gasto também é maior: o tíquete médio aumentou 36% no período de isolamento, de R$112 para R$153.

Itens mais vendidos

Analisando os carrinhos de compra, a Dotz concluiu que as pessoas estão cozinhando cada vez mais em casa. Entre os itens que tiveram aumento de compra, está álcool para limpeza e itens básicos que necessitam de algum preparo, como arroz, farináceos, massas e feijão. No período analisado, observou-se ainda uma queda na compra de bebidas prontas para consumo, como refrigerante, iogurte e sucos prontos.

A pesquisa contou com dados de 2,3 milhões de consumidores em compras realizadas nas 16 redes de supermercados parceiras da Dotz no Brasil.

A empresa de fidelidade começou a analisar dados de consumo como um novo negócio em março. Mais do que uma empresa de pontos, a Dotz quer usar os dados de seus usuários para entender melhor o mercado de varejo. Os dados como as compras dos usuários, sua cesta de compras e movimentos – anonimizados – podem ajudar a companhia a visualizar tendências. Agora, a empresa espera disponibilizar relatórios quinzenais com os dados.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.